Featured Video

18 julho 2010

Heil Lula!!!


Nesta semana que passou o presidente da "república" "democrática" do Brasil enviou um Projeto de Lei para o Congresso. Mas não acredite que o sr. Lula resolveu trabalhar neste último ano de mandato. O texto é uma emenda ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e visa proibir (na forma de Lei) que os pais batam em seus filhos, ainda que seja uma palmadinha. Segundo o projeto, os infratores serão advertidos pelas autoridades e obrigados a se apresentar em instituições de proteção da família para receber orientações ou tratamento psicológico.

Sou pai e filho. Sou contra o espancamento (seja ele qual for), mas não culpo em nada os meus pais pelas palmadas que recebi quando era mais novo e não tenho nada contra os pais utilizarem a palmada em seus filhos. Lembro que não estou falando de espancamento, mas de correção. Até a Bíblia orienta tal disciplina mediante moderação.

Interessante é ver o sr. Lula se justificando para criar tal Projeto de Lei: “Os críticos vão dizer que estamos tentando impedir que os pais eduquem seus filhos. Ninguém quer proibir que uma mãe seja mãe nem que um pai seja pai. O que queremos é mostrar que é possível fazer as coisas de uma forma diferente". Ora, um processo de conscientização não se faz mediante atitudes ditatoriais e se ele entende que o diálogo é tão favorável para a sociedade porque correu de tantos durante sua vida, principalmente, na política?

O sr. Lula foi mais além e na sua eterna maquiagem de bom samaritano emendou dizendo que se sente um abençoado porque sua mãe nunca lhe levantou a mão e que, ele mesmo, nunca precisou agredir seus filhos. Bom, até aqui tudo bem; mas o pior foi ouví-lo concluindo que, se os castigos resolvessem os problemas de educação, “não haveria tanto corrupto e tanto bandido no país”.

É presidente... sua justificativa foi infundada. Porque só posso concluir duas coisas: ou sua mãe levantou a mão para o sr. e o sr. para o seu filho ou então é o diálogo que não vale a pena. Afinal de contas será que alguém aqui já se esqueceu do Mensalão? Quem é mesmo o Ali-Baba que até hoje a nossa Justiça-marionete se encarrega de não querer culpar? E mais, o Lulinha (filho do sr.) virou um empreendedor de extremo sucesso (enriquecendo substancialmente) depois que o sr. se tornou Presidente do Brasil... Coisas que envolviam os meios de telecomunicação do país. Lembra?

É presidente... O que vale é o caráter e isso é passado de pais para filhos mediante ações. Até porque é muito fácil eu falar o que o outro tem que ser e eu mesmo não ser isso, concorda?

Que tal então, o sr. criar um Projeto de Lei que se algum político se tornar corrupto então ele irá para a cadeira passar uns 20, 30 ou 40 anos por lá. Não estou com isto sugerindo que nenhum político seja político mas o que quero mostrar é que é possível fazer as coisas de uma forma diferente. Entende?

Riva Moutinho 18/07/2010

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More