Featured Video

31 março 2009

Castelo de Areia: PF exclui PT, PTB e PV de relatório

FONTE: Jornal Nacional

Uma parte do último relatório da operação Castelo de Areia é dedicada ao suposto financiamento ilegal de campanhas políticas. No documento, aparecem siglas de vários partidos, mas a Polícia Federal deixou de fora do relatório final três partidos citados na investigação.

Os partidos que ficaram de fora do último relatório da polícia são PT, PTB e PV. O nome desses partidos está em uma correspondência eletrônica de novembro do ano passado enviada por um dos diretores da Camargo Corrêa para um representante da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), tida pela polícia como intermediária entre a construtora e políticos.

No e-mail, o diretor cobra recibos pendentes das seguintes doações:

PSDB - Comitê Financeiro de São José dos Campos – R$ 25 mil.
PSDB – R$ 50 mil.
PT - Diretório Regional – R$ 25 mil.
PTB - Comitê Financeiro Municipal – R$ 25 mil.
PV - Comitê Financeiro Municipal – R$ 25 mil.

O e-mail ainda diz que há recibos pendentes de doações anteriores. O DEM do Rio Grande do Norte teria recebido o valor de R$ 300 mil e o PSDB do Pará é citado duas vezes, com total de R$ 200 mil.

O delegado Otávio Russo, que assina o relatório, escreveu: “É impossível afirmar, só com os dados atuais, a ilegalidade dessas doações”.

A polícia também omitiu uma palavra na transcrição de um dos diálogos. É na conversa em que dois diretores da Camargo Corrêa falam sobre um arquivo com dados a respeito de doações.

Segundo a polícia, um dos diretores diz: “Tem aquela pasta de eleições. E lá tem todos os caras que foram pagos. A relação, inclusive, a colaboração oficial”. O outro pergunta: “Tem as duas”?

Em outro diálogo, há a ausência de um verbo. O diretor diz: “a colaboração foi oficial”.

Segundo a Polícia Federal, a omissão de uma palavra no diálogo não foi intencional e a ausência dela não modifica o sentido da conversa, que deixa dúvida sobre a legalidade das doações. Sobre o fato de não incluir três partidos políticos no último relatório da investigação, a Polícia Federal dá a seguinte explicação: os partidos foram citados no contexto em que se fala em recibos de doação, o que deu a entender aos delegados do caso que seria repasses feitos dentro da lei.

Nesta segunda-feira, o senador Agripino Maia, do DEM, também citado nas investigações, mostrou recibo de doações da Camargo Corrêa para o partido. Segundo ele, os recibos serão entregues esta semana à Justiça Eleitoral.

“A tentativa foi denegrir a minha imagem com falsidade, que com argumentos e documentos, nós destruímos”, declarou o senador Agripino.

O PV e o PTB afirmaram que as doações da Camargo Corrêa foram devidamente registradas. A direção nacional do PT declarou que não responde pelos diretórios regionais, sem identificação de estado. Em todo o país, o partido tem 27 diretórios regionais.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More