Featured Video

04 janeiro 2009

Palestinos contam ao menos 20 mortos; Israel enfrenta forte resistência do Hamas


FONTE: Folha online

Pelo menos 20 palestinos morreram e 50 ficaram feridos desde o início da invasão israelense de Gaza por terra, disse o vice-ministro de Saúde do Hamas, segundo o qual as tropas de Israel teriam perdido oito soldados, e outros 25 estariam feridos.

Segundo as Forças Armadas de Israel, a ofensiva terrestre iniciada é a segunda fase da operação "Chumbo Fundido", que teve início há oito dias e na qual até este sábado a Força Aérea e a Marinha bombardeavam posições do Hamas em Gaza. A campanha aérea deixou ao menos 420 mortos, dos quais mais de 100 são civis, de acordo com a ONU. Segundo Israel, a ofensiva é uma resposta à violação --e lançamento de foguetes-- do Hamas da trégua de seis meses assinada com Israel e que acabou oficialmente no último dia 19. Desde o início dos bombardeios israelenses, o Hamas intensificou o lançamento de foguetes sobre o sul de Israel, em ataques que mataram quatro pessoas.

Citando fontes militares israelenses, o jornal "Jerusalem Post" informa que o número de mortos entre os palestinos chega a 30. Segundo o jornal, as tropas israelenses estão enfrentando uma forte resistência de combatentes do Hamas entrincheirados em edifícios.

"Nas últimas duas horas, vinte pessoas morreram e mais de 50 foram feridas, e se acrescentam aos 466 mortos e 2.350 feridos desde que começou a ofensiva israelense (há oito dias)", disse em conversa telefônica de Gaza Hassan Yalaf, diretor-geral do hospital Al Shifa e vice-ministro de Saúde do Hamas.

Segundo ele, o maior problema que enfrentam atualmente os serviços médicos é a falta de eletricidade. "Israel cortou a provisão elétrica em toda a faixa e Gaza inteira está na total escuridão", o que dificulta enormemente o funcionamento dos hospitais e o atendimento aos feridos.

Yalaf disse que "os bombardeios agora cessaram e o que se escuta são confrontos entre as tropas (terrestres) israelenses e a 'resistência' palestina".

O vice-ministro de Saúde disse ter recebido informação que as tropas israelenses "perderam pelo menos oito soldados e outros 25 foram feridos". Yalaf afirma que, "desde que começou a operação por terra, a moral do povo está muito alta. Os palestinos vão seguir lutando, seja qual seja a gravidade da agressão israelense".

Um porta-voz do Exército de Israel não confirmou se suas tropas sofreram baixas e também não quis comentar sobre a existência de vítimas entre os palestinos. O porta-voz se limitou a afirmar que, "por enquanto, só podemos dizer que a operação segue em andamento".

A invasão de Gaza é a segunda fase da operação "Chumbo Fundido" iniciada no sábado passado (27) com bombardeios aéreos e navais contra a infraestrutura do Hamas e outros objetivos estratégicos.

Centenas de tanques e veículos blindados, assim como pelo menos 10 mil soldados, participam da invasão terrestre da faixa, um território de 40 quilômetros de comprimento por 15 quilômetros de largura, com 1,5 milhão de habitantes.

O "Jerusalem Post" informa que um dos objetivos da invasão terrestre, além de destruir os lançadores de foguetes palestinos, é enfraquecer seriamente o braço armado do Hamas, que não teria sido golpeado de forma suficiente pelos bombardeios, na avaliação do Exército de Israel.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More