Featured Video

Visão Mundial

Somos uma organização não governamental cristã, brasileira, de desenvolvimento, promoção de justiça e assistência, que, combatendo as causas da pobreza, trabalha com crianças, famílias e comunidades.

Wikileaks

Somos uma organização sem fins lucrativos dedicada a trazer informações importantes para o público.

Greenpeace

Somos uma organização global e independente que atua para defender o ambiente e promover a paz, inspirando as pessoas a mudarem atitudes e comportamentos.

Associação de Assistência à Criança Deficiente

Somos uma entidade privada, sem fins lucrativos, que trabalha há 60 anos pelo bem-estar de pessoas com deficiência física.

Médicos Sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam.

31 janeiro 2009

LANÇAMENTO:

E-book "O Caos da Desordem do Silêncio"


Clique na imagem acima para fazer o download do E-Book

DIA 02/02/2009, CHAT COM RIVA MOUTINHO ÀS 23H AQUI NO AÇÃO REAÇÃO

A versão do ex-terrorista

FONTE: Revista Isto É


A camiseta amarela e a calça jeans não poderiam estar mais surradas. Dificilmente também poderiam estar mais limpas. Mesmo sob forte escolta policial e algemado, ao descer da parte de trás do camburão, o italiano Cesare Battisti passava uma imagem de dignidade. Na tarde da quartafeira 28, ele foi retirado da cela que divide com um austríaco preso por crimes fiscais para ser entrevistado por ISTOÉ, na penitenciária da Papuda, em Brasília. Circulou pouco mais de um quilômetro dentro do complexo, sede de uma antiga fazenda, até ser instalado numa sala da gerência de operações especiais. Do lado de fora, a segurança envolvia homens com metralhadoras. Dentro da sala, dois agentes também armados mantiveram-se quase em posição de sentido por 1h40. Eles só se agitaram aos 50 minutos da entrevista, quando um dos advogados de Battisti, Fabio Antinoro, colocou na mesinha que separava o preso da repórter dois copos de água - de vidro. Assim que percebeu o movimento dos agentes, o próprio Antinoro rapidamente trocou o copo de Battisti por um outro, de plástico. Sem nenhum outro comentário ou expressão de desagrado, o italiano agradeceu.

Cesare Battisti, um homem de 54 anos com aparência frágil, é o pivô da mais ruidosa crise diplomática enfrentada pelo Brasil nos últimos anos. Será ele um assassino frio, cruel, responsável pelas mortes de quatro pessoas durante os anos de chumbo da Itália? Ou apenas um ex-guerrilheiro arrependido, que não executou nem participou do planejamento dos crimes que lhe são atribuídos? Culpado ou inocente, Battisti se transformou no protagonista de um conflito inédito e explosivo entre dois países amigos - Brasil e Itália - e também de uma trama internacional, que envolve até o serviço secreto francês e a primeiradama daquele país, a cantora italiana Carla Bruni. Em meio ao turbilhão de versões, desmentidos e insinuações, Battisti disse à ISTOÉ, na quarta-feira 28: "Nunca matei ninguém e o refúgio concedido pelo Brasil foi um ato de coragem e humanidade do ministro Tarso Genro."

Com aparência serena - mesclada por momentos de ansiedade contida -, Battisti não se exaltou em nenhum momento. Chegou a rir quando lembrado que, três décadas atrás, usava um documento falso com o sobrenome Ferrari. "Eu já tinha me esquecido", disse. "Era Joseph Ferrari." Quanto à vida na Papuda, conta que tem boa convivência com os 50 presos de sua unidade - um deles faz graciosamente o corte de seus cabelos. Em vez de participar das atividades laborais oferecidas pela Papuda, Battisti prefere continuar sua própria obra literária e passa a maior parte do tempo tentando escrever. Conta que já recebeu "centenas" de cartas, de todo o mundo, de pessoas oferecendo-lhe apoio.

Ex-militante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, uma facção de extrema esquerda italiana, Battisti chegou a ser preso na Itália, de onde conseguiu fugir em 1981. Escondeu-se na França, depois no México e se tornou escritor. Seu principal livro, chamado Minha fuga eterna, narra as peripécias de um fugitivo ao redor do mundo. Anos mais tarde, ele obteve status de refugiado político na França, amparado pela doutrina Mitterrand, que protegia ex-guerrilheiros, dispostos a renunciar à luta armada. Em Paris, Battisti viveu durante 11 anos, casou-se e teve duas filhas. Foi só em 2006 que ele se viu obrigado a reiniciar sua fuga, quando o governo de Jacques Chirac reviu a doutrina Mitterrand. Battisti desembarcou no Aeroporto de Fortaleza, no Ceará, e depois desceu para o Rio de Janeiro. Lá, alugou uma quitinete em Copacabana e continuou escrevendo seus romances policiais até que, mais um vez, acabou se tornando personagem de uma trama do gênero. Detido em 2007, foi transferido para o presídio da Papuda, no Distrito Federal. Desde então, vinha aguardando o julgamento do seu pedido de extradição. Condenado à prisão perpétua, Battisti temia ser assassinado na Itália. E foi por isso que ele entrou com pedido de refúgio político, cuja decisão, tomada de forma unilateral pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, causou um terremoto diplomático entre Brasil e Itália.

Em Roma, manifestantes ligados a organizações que reúnem vítimas do terrorismo, protestaram diante da suntuosa embaixada brasileira. Senadores mais exaltados sugeriram que os italianos boicotassem produtos brasileiros e cancelassem suas viagens às praias do Nordeste. A crise atingiu o ápice na terça-feira 27, quando a Itália chamou de volta seu embaixador em Brasília, Michele Valensise, para reforçar o protesto contra a decisão do governo brasileiro. Na diplomacia, a convocação do embaixador é o último passo de um governo antes do rompimento definitivo das relações diplomáticas. Nem a carta que o presidente Lula enviou na sexta-feira 23 ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, justificando a decisão do governo em dar refúgio a Battisti, serviu para amenizar a situação. Segundo Lula, a concessão do refúgio foi um ato soberano do Brasil, que deve ser respeitado. "Trata-se de um caso encerrado", disse o porta-voz da Presidência, Marcelo Baumbach.

Há, dentro do governo, quem se lembre da recusa da Itália em enviar de volta ao Brasil o banqueiro Salvatore Cacciola, que estava condenado a mais de dez anos de prisão. Mas a comparação não faz muito sentido, porque o ex-dono do Marka, de ascendência italiana, tem dupla cidadania e a Itália seria legalmente proibida de extraditá-lo. Há também uma tese conspiratória circulando em Roma: a de que os italianos colaboraram com a prisão de Cacciola, avisando as autoridades do Brasil e da Interpol sobre seu passeio em Mônaco, onde ele foi capturado, e agora esperavam a reciprocidade. Em vão.

O caso Battisti é surpreendente não apenas pelas reações apaixonadas que despertou, como também pela dimensão dos personagens que gravitam em torno dele. A começar pela bela e charmosa primeira-dama francesa, Carla Bruni. No fim do ano passado, ela e seu marido Nicolas Sarkozy, presidente da França, decidiram passar as festas de Ano-Novo no Brasil. Os dois estiveram com o presidente Lula no Rio de Janeiro e despertaram a suspeita de que teriam intercedido em favor de Battisti. Carla e sua irmã, a atriz Valeria Bruni-Tedeschi, defendem publicamente os ex-terroristas italianos que vivem na França. Sarkozy, por sua vez, seria movido por um misto de remorso e conveniência política. Ele venceu as eleições de 2007, na França, acusando sua adversária, Ségolène Royal, de proteger terroristas. Mas depois disso, Sarkozy compôs seu governo com a esquerda francesa. Em outubro do ano passado, por exemplo, ele vetou a extradição de Marina Petrella, ex-militante das Brigadas Vermelhas. A suspeita de que o primeiro-casal francês fez lobby por Battisti foi tão forte que Carla teve de convocar uma entrevista coletiva em Paris, no início da semana. "Não tratei desse tema com o presidente Lula", disse ela. "Sou contra o terrorismo e nunca defendi Cesare Battisti." Embora o governo brasileiro considere o caso encerrado, os italianos não pensam da mesma maneira.

Nesta semana, desembarca no Brasil o chanceler Franco Fratini, com a missão de convencer o Supremo Tribunal Federal a rever o caso. No STF, o único ministro disposto a mexer nesse vespeiro é o presidente da corte, Gilmar Mendes, mas ele deve ser voto vencido. Os ministros do Supremo Tribunal Federal não deverão questionar a decisão de Tarso Genro. "A lei proíbe a extradição quando já reconhecido o refúgio", disse à ISTOÉ o ministro Marco Aurélio Mello. Há um precedente igual ao de Battisti na corte. Trata-se do processo do padre colombiano Olivério Medina, que foi acusado de pertencer às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Em 2007, o Conselho Nacional de Refugiados concedeu o benefício a Olivério e o STF, numa goleada de 9 a 1, entendeu que não cabia extradição. "Teremos praticamente o mesmo resultado", prevê Marco Aurélio. O procurador- geral da República, Antonio Fernando de Souza, também enviou na segunda-feira 26 um parecer ao STF defendendo a extinção do processo de extradição do italiano. Com isso, Battisti poderia ser colocado em liberdade. "Ele já deveria ter sido solto", disse à ISTOÉ seu advogado, o petista Luiz Eduardo Greenhalgh.

Sua maior felicidade na Papuda foi receber a filha mais velha, Valentina, 24 anos, na cela, em agosto do ano passado. "Foi maravilhoso", conta. "Da outra vez que ela veio, eu estava em outra prisão e ficamos separados pelo vidro do parlatório." Nos planos para o futuro próximo - em que ele se imagina livre, com a família reunida, no Brasil - Battisti já sonhou até com as perspectivas de atuação de Valentina. "O Brasil tem boas oportunidades na área dela, de biogenética." Enquanto espera os novos tempos, Battisti enfrenta a realidade tomando, com indicação médica, o antidepressivo Zoloft. Por garantia, o advogado Antinoro entrega-lhe um comprido por vez, diariamente. Lembrando que a pressão das últimas semanas veio em doses cavalares, Battisti conta que nos últimos dias não tem conseguido escrever. E garante: "Tudo que vou dizer está documentado, pode ser provado."

27 janeiro 2009

Reação brasileira no caso Battisti foi grave e inesperada, diz chanceler italiano

FONTE: Globo.com

O ministro italiano de Relações Exteriores, Franco Frattini, disse que a reação do governo brasileiro no caso Battitsi é "grave" e não era esperada pela Itália.

A Itália decidiu chamar para consultas seus embaixador no Brasil depois da negativa de Brasília de extraditar Cesare Battisti, ex-ativista de esquerda condenado na Itália por quatro assassinatos, anunciou nesta terça-feira (27) o ministério italiano das Relações Exteriores.

"Depois da grave decisão tomada no caso Battisti pelo procurador-geral (do Brasil), o ministro das Relações Exteriores, Franco Frattini, decidiu chamar para consultas em Roma o embaixador da Itália no Brasil, Michele Valensise", informou a chancelaria.

Na noite de segunda, o procurador-geral da República do Brasil, Antonio Fernando de Souza, recomendou ao Supremo Tribunal Federal que arquivasse o pedido de extradição da Itália para Cesare Battisti, detido no Rio de Janeiro em março de 2007 depois de ter fugido da França, onde se refugiou entre 1990 e 2004.

"Esperávamos um novo exame e uma reflexão mais profunda: o fato de decidir depois de somente 48 horas sem ter analisado objetivamente (o caso) parece como uma vontade de não decidir e de cobrir simplesmente a decisão política do ministério da Justiça", disse o chanceler Franco Frattini, citado pela imprensa italiana.

"Isso é francamente inaceitável e por isso convocamos a Roma o embaixador para consultas neste caso. Quero ver com ele as opções que temos", acrescentou.

Frattini enfatizou, no entanto, que o Brasil "é um grande amigo da Itália desde sempre" e que, "por este motivo, não esperávamos uma reação tão grave".

Em 13 de janeiro, o Brasil concedeu asilo político a Battisti, ex-chefe do grupo "Proletários Armados pelo Comunismo" e condenado em 1993 pela justiça italiana à prisão perpétua por quatro assassinatos cometidos anos 1970.

No parecer de Antonio Fernando de Souza, a concessão de de refúgio significa automativamente a extinção do processo de extradição solicitado pela Itália.

A decisão de conceder asilo provocou indignação na Itália, tanto por aparte das autoridades políticas como das famílias das vítimas.

Na semana passada, uma série de atos simbólicos diante das sedes diplomáticas do Brasil na Itália marcou o protesto de vários políticos italianos contra a decisão de Brasília.

Reunidos em frente à elegante sede da embaixada brasileira em Roma, quatro manifestantes deitaram no chão e se cobriram com lençóis manchados de vermelho, representando os quatro assassinatos pelos quais Battisti foi condenado na Itália, informou a rede de notícias Sky TG24.

O ato foi organizado por dois pequenos partidos de tendências opostas: o Itália dos Valores, de esquerda, fundado pelo ex-juiz anticorrupção Antonio di Pietro, e o Movimento pela Itália, de extrema direita, criado pela ex-deputada Daniela Santanché, que liderou o protesto de Milão, no norte do país.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro que seu governo não está disposto a submeter a decisão a uma revisão.

Lula enviou na sexta-feira uma carta pessoal a seu colega italiano Giorgio Napolitano - que lhe expressou sua grande surpresa pela decisão - explicando as razões para conceder refúgio a Battisti e garantindo a independência e a neutralidade da decisão adotada pelo ministro da Justiça, Tarso Genro.

26 janeiro 2009

FANTÁSTICO: Casal Hernandes nos EUA

FONTE: Globo.com


Crise faz empresas demitirem mais de 50 mil no mundo nesta segunda; veja lista

FONTE: Folha online

Diversas empresas no mundo anunciaram cortes de empregos por causa da crise econômica mundial nesta segunda-feira, somando mais de 50 mil dispensas. Se considerados ainda dados de emprego divulgados hoje por montadoras japonesas, o número pode passar de 70 mil, uma vez que as 12 maiores montadoras do Japão esperam cortar 25 mil vagas até 31 de março.

O principal corte de hoje foi o da norte-americana Caterpillar, fabricante de máquinas do setor de construção, que demitiu 20 mil funcionários. "A crise financeira e bancária se acelerou no quarto trimestre de 2008 e teve um impacto significativo no crescimento econômico em geral, e nos setores aos quais servimos no mundo todo", informou a Caterpillar, cujos resultados são referência para estudar a evolução da economia nos EUA.

Além disso, a também norte-americana do setor telecomunicações Sprint Nextel planeja cortar cerca de 8.000 postos de trabalho no primeiro trimestre deste ano, como parte de reduzir em US$ 1,2 bilhão seus gastos anuais.

E a situação do mercado de trabalho nos EUA deve piorar nos próximos seis meses, segundo pesquisa da Nabe (Associação Nacional de Economia Empresarial, em inglês) divulgada nesta segunda-feira. De acordo com a associação, 39% dos economistas ouvidos preveem reduções "significativas" no primeiro semestre deste ano, contra 32% registrados na pesquisa anterior, feita em outubro do ano passado.

Na Europa, multinacionais e bancos internacionais anunciaram nesta segunda-feira o corte de 17.200 empregos em todo o mundo. O maior corte foi anunciado pelo gigante holandês do setor bancário ING, que vai cortar 7.000 vagas.

Veja outras demissões importantes no cenário da crise financeira global:

26 de janeiro: 20.000 demissões foram anunciadas pelo fabricante de máquinas de obras americano Caterpillar; 8.000 pela operadora das telecomunicações americana Sprint Nextel; 7.000 pelo especialista americano em materiais e produtos de construção Home Depot; 7.000 pelo grupo de banco e seguro holandês ING; 6.000 pelo grupo holandês da eletrônica Philips; 3.500 pela siderúrgica anglo-holandesa Corus e 2.000 pela General Motors.

A empresa farmacêutica Pfizer anunciou que deve fazer um corte de 10% em seu quadro de funcionários, o que pode representar cerca de 8.000 demissões na companhia.

No Japão, Toyota, Honda, Nissan, Mitsubishi Motors, Mazda e todos os outros construtores japoneses vão se desfazer de cerca de 25.000 assalariados, terceirizados ou com contratos temporários, em suas fábricas japonesas daqui até março, segundo dados da agência de notícias japonesa Jiji.

22 de janeiro: a Sociedade nacional de minas (Sonami) do Chile anunciou que 12.000 empregos foram eliminados entre setembro e dezembro de 2008. O gigante americano da informática Microsoft anunciou a demissão de 5.000 funcionários, dos quais 1.400 imediatamente. O fabricante de material eletrônico japonês Sony decidiu acelerar o programa de demissões de 16.000 empregos anunciado em dezembro.

21 de janeiro: a sueca Ericsson (telefonia móvel) anunciou a demissão de 5.000 funcionários no mundo, enquanto o grupo de mineração anglo-australiano BHP Billiton, o maior no mundo, anunciou 6.000 e seu concorrente Rio Tinto, mais de 2.300.

14 de janeiro: o fabricante de equipamentos do setor das telecomunicações americano Motorola anunciou a demissão de 4.000 empregos --são 17.000 desde janeiro de 2007. A Associação dos produtores e importadores de automóveis disse que 100.000 empregos do setor estavam em perigo na Romênia.

8 de janeiro: o japonês TDK, de tecnologias de estocagem informática, demitiu 8.000 funcionários no exterior.

6 de janeiro: o produtor americano de alumínio Alcoa anunciou a demissão de 13.500 empregados no mundo, ou seja 13% de seus efetivos.

21 de dezembro: o governo sul-coreano prevê 19.000 cortes de empregos públicos.

17 de dezembro: Valeo (equipamentos automotivos) cortou 5.000 empregos no mundo, dos quais 1.600 na França.

11 de dezembro: o sindicato patronal da indústria farmacêutica (Leem) calculou que entre 5.000 e 6.000 demissões na França até 2010.

2 de dezembro: A General Motors anunciou demissões de até 31.500 funcionários em três anos.

27 de novembro: A ArcelorMittal, primeiro grupo siderúrgico mundial, previu a demissão de até 9.000 funcionários no mundo, dos quais 6.000 na Europa.

14 de novembro: o grupo de informática americano Sun Microsystems anunciou de 5.000 a 6.000 demissões.

31 de outubro: A American Express demitiu 7.000 empregados, e a Whirlpool, fabricante de eletrodomésticos, 5.000.

24 de outubro: o construtor de automóveis americano Chrysler anunciou o corte de 5.000 postos.

22 de outubro: o grupo farmacêutico Merck previa 7.200 postos a menos daqui até 2011, dos quais 6.800 demissões.

9 de outubro: A Hewlett Packard anunciou 24.600 demissões no mundo.

8 de julho: A Siemens, terceira empresa alemã, anunciou o fechamento de 16.750 empregos no mundo, dos quais 5.250 na Alemanha.

22 janeiro 2009

Hernandes pedem dinheiro de fiéis para reconstruir templo


FONTE: Estadão

SÃO PAULO - Parecia dia de estreia em Hollywood, com show de bailarinas, telões e transmissão via satélite, enquanto celebridades ecumênicas como o Bispo Gê desfilavam pelo chão de mármore e avançavam sobre o tapete vermelho para tomar seus postos no palco do templo evangélico Assembleia de Deus, que ontem à noite recebeu os convidados da Igreja Renascer em Cristo. Os autodenominados bispos Estevam e Sonia Hernandes apareceram nos telões, direto de Miami, onde cumprem liberdade condicional por conspiração e contrabando.

Foi a primeira vez que o casal se pronunciou publicamente sobre a queda do telhado da sede da Renascer, que no domingo matou nove pessoas. A plateia, estimada em 2 mil pessoas, entre as quais parentes das vítimas, levantou e ovacionou o casal.

"Sinto como se tivesse perdido nove filhos", disse o "bispo". Ele citou uma das vítimas, Maria de Lourdes, que teria afirmado querer morrer dentro da igreja. "Disse que aqui, entre os mortais, há muito trabalho a ser feito, mas que o melhor mesmo é estar ‘perto de Cristo’". Aos parentes, mandou a mensagem: "Essa dor não é de morte, mas de ressurreição", ao que o público gritava "Aleluia!". Estevam continuou: "O sofrimento que o Satanás me causa é para alcançarmos a Glória."

Para domingo, que marca o sétimo dia da morte das vítimas da tragédia, o bispo marcou cinco cultos às 8h, 10h, 15h, 17h e 19h, que será transmitido via satélite de Miami, na Avenida Paulista, na frente do Clube Holms. Ele também prometeu uma marcha na Avenida Lins de Vasconcelos, onde os fiéis teriam a oportunidade de "esmagar a cabeça do Satanás com o calcanhar". "Se tiver trio elétrico, melhor."

Ele também contou que um fiel teria sido chamado à delegacia e quase obrigado a fazer uma denúncia contra a Igreja. "Como é que vou fazer uma queixa contra a casa do Senhor, onde recebo todas as glórias?", perguntava Estevam aos fiéis. "Está cheio de repórteres na porta. E eles estão se perguntando, quem é esse povo e o que fazem aqui?" Os fiéis responderam: "É o povo de Deus!"

Os Hernandes aproveitaram para pedir reforço no dízimo para a reconstrução da sede da Renascer e pediram aos que tivessem contribuições "generosas" que fossem ao palco. Fiéis lotaram o espaço, abanando envelopes com suas ofertas. "Vou entregar tudo o que for necessário para o sacrifício", dizia o bispo.

O casal deve voltar ao Brasil em junho, quando termina a liberdade condicional. Eles foram presos em 2007 no Aeroporto de Miami ao tentar entrar no país com US$ 56.467 escondidos numa Bíblia, em CDs gospel e em duas bolsas, embora tivessem declarado não portar mais do que US$ 10 mil cada um. Passaram 140 dias em uma cadeia, cinco meses em prisão domiciliar, e pagaram multa de US$ 30 mil cada.

Obama manda fechar prisão de Guantánamo no prazo de um ano


FONTE: Globo.com


O presidente dos EUA, Barack Obama, cumpriu uma de suas promessas de campanha nesta quinta-feira (22) e ordenou que o centro de detenção de Guantánamo, em Cuba, seja fechado em até um ano.

O decreto que ordena o fechamento da prisão foi assinado durante rápida cerimônia no Salão Oval, na Casa Branca. O presidente eleito estava cercado de militares reformados e funcionários do primeiro escalão.

Outros decretos assinados por Obama também proíbem os abusos durante interrogatórios e exigem que os agentes cumpram a Convenção de Genebra -que regula o tratamento de prisioneiros de guerra. Antes da assinatura, Obama teve reunião com os militares em que tratou da política de interrogatório e de detenção de pessoas suspeitas de terrorismo.

A prisão de Guantánamo, em uma base militar americana em Cuba, foi aberta em 2002, como parte da "guerra contra o terrorismo" iniciada pelo governo de George W. Bush depois dos atentados de Nova York e Washington em 11 de Setembro.

Cerca de 240 estrangeiros ainda estão aprisionados em Guantánamo. Ao longo da campanha à presidência, Obama se comprometeu a fechar a prisão, cuja existência foi amplamente criticada por organizações defensoras dos direitos humanos. Depois de eleito, ele manteve a promessa.

Também ficam suspensos os julgamentos e os tribunais militares no período, para que eles passem por uma revisão.

A administração também vai começar imediatamente um estudo sobre o que fazer com os prisioneiros da base -acusados de colaboração com atividades terroristas- e sua eventual transferência para cadeias nos EUA.


Processos suspensos

Na quarta-feira, dois juízes militares haviam suspendido por 120 dias os julgamentos contra seis acusados de terrorismo que estão detidos em Guantánamo. A suspensão foi dedicida após pedido de Obama.

Um dos juízes a conceder a suspensão foi Stephen Henley, responsável pelos processos de cinco homens acusados de ajudar a organizar os atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York e Washington. Mais cedo, o juiz militar Patrick Parrish havia ordenado que o processo contra o canadense Omar Khadr fosse suspenso.

No dia da posse, Obama mandou a Procuradoria Militar dos Estados Unidos pedir a suspensão temporária dos processos contra os detentos da prisão em Cuba.

Os promotores argumentaram que congelar os julgamentos até 20 de maio daria tempo para a nova administração avaliar cada caso e decidir qual tribunal é o mais adequado para uma futura sentença.

"No interesse da Justiça, e a pedido do presidente dos Estados Unidos e do secretário de Defesa Robert Gates, o governo solicita, respeitosamente, que as comissões militares autorizem o adiamento dos processos mencionados anteriormente até 20 de maio de 2009", afirma a moção apresentada nesta quarta-feira pelo juiz Cayton Trivett, do Ministério Público, a dois juízes dos tribunais de exceção.

21 janeiro 2009

Renascer tem até as 15h desta quarta para entregar plano de demolição

FONTE: G1


20 janeiro 2009

Discurso de posse de Barack Obama

FONTE: Globo.com


Que ao menos algumas das melhores esperanças que muitos depositam nele se realizem durante os próximos anos. É o que espero e desejo sinceramente.
Riva Moutinho

Veja a simulação da queda do teto do templo da Renascer

FONTE: Jornal Nacional


Igreja Renascer fez reforma irregular em templo onde teto desabou

FONTE: Folha online

A Igreja Renascer em Cristo fez em 2008 uma reforma irregular no telhado do templo que desabou na noite de domingo no Cambuci (centro de SP). Nove mulheres morreram e 124 pessoas ficaram feridas.

Entre agosto e novembro, todas as 1.600 telhas do templo foram substituídas. O bispo Geraldo Tenuta Filho, presidente da Renascer, confirmou a informação ontem, após a Defesa Civil apontar que foram localizados materiais novos nos destroços --telhas e peças de ar-condicionado. Anteontem, Tenuta havia dito que a última reforma do prédio foi há três anos e que no ano passado houve só uma pintura da fachada.

A troca do telhado não foi informada à prefeitura, como exige a legislação municipal, segundo o secretário da Habitação, Orlando Almeida Filho.

Não se pode afirmar, porém, se a reforma é a origem do acidente. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o caso.

O coordenador da Defesa Civil de São Paulo, Orlando Rodrigues de Camargo Filho, levantou a hipótese de sobrecarga de peso na estrutura de madeira que sustenta o telhado, com a instalação, por exemplo, de aparelhos e tubulações de ar-condicionado e câmeras de TV. Ele disse ter trabalhado em outro caso de desabamento do telhado de uma igreja causado exatamente por esse motivo.

"Normalmente eles colocam um forro de gesso, que pesa, colocam ar-condicionado, tubulações e a própria telha."

Daniel dos Anjos, dono da Etersul, contratada pela Renascer para trocar as telhas, disse que não houve sobrecarga de peso no telhado pois as novas telhas são idênticas às antigas. Segundo ele, havia goteiras e telhas remendadas.

O prédio já teve problemas no telhado em 1999. Segundo a prefeitura, o alvará de funcionamento como igreja só foi emitido em 2000 após o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) atestar a segurança da estrutura do telhado.

O templo também não tinha laudo dos Bombeiros, diz o coronel Manuel Antonio da Silva Araújo. O último foi feito em 2003 e precisaria ser renovado a cada dois anos. O laudo atesta a segurança do prédio em relação a rotas de fuga e equipamentos de combate a incêndio.

O Ministério Público Estadual vai analisar os documentos usados pela igreja para obter o alvará, inclusive o laudo do engenheiro que atestou a segurança da obra. O Crea-SP (conselho regional de engenharia) também apura a responsabilidade técnica pelo acidente.

Para o promotor Ricardo Andreucci (Criminal), a tragédia poderia ter sido evitada se a prefeitura tivesse feito uma rigorosa vistoria no prédio antes de liberar seu funcionamento --o alvará, válido por um ano, foi renovado em julho de 2008.

O secretário de Habitação disse que não foi feita vistoria e que a prefeitura confiou no laudo técnico. No fim da tarde, a secretaria mudou a versão e informou que foi, sim, feita uma vistoria. A Folha pediu, mas não teve acesso ao processo.

O presidente do Instituto de Engenharia, Edemar de Souza Amorim, disse que trocar uma telha por outra do mesmo peso não traz problemas se não houver mudança na estrutura. "Aposto dez contra um que é um problema de manutenção, falta de o proprietário contratar engenheiro para fazer uma vistoria regular."


Outro lado

A Igreja Renascer em Cristo informou ontem que a documentação do imóvel no Cambuci, onde funciona a sede mundial da entidade, estava "absolutamente legalizada".

"A Renascer em Cristo sabe da responsabilidade e importância da manutenção dos locais de culto, onde se reúnem milhares de fiéis, entre eles idosos e crianças. A manutenção preventiva, inclusive, sempre foi uma preocupação constante. Não se sabe o que ocorreu, e apenas uma investigação séria e rigorosa poderá fornecer a resposta", informou ontem a igreja por meio de nota.

Sobre a reforma do telhado que precisaria ter sido informada à prefeitura, a igreja respondeu apenas que foi uma manutenção necessária. O templo não chegou a ser fechado.

"Em 2008 a empresa Etersul foi contratada para realizar toda a troca de telhas, e cuidando de todos os aspectos relacionados a esse trabalho, parte burocrática e administrativa, incluindo sua regulamentação. Essa obra da Etersul durou 70 dias", informou a igreja.

A empresa informou que foi contratada apenas para trocar as telhas do prédio.

A Renascer defende que a estrutura do prédio era adequada, pois em 1999 o IPT emitiu laudo em que atesta a qualidade da reforma feita no telhado.

"A última grande reforma no telhado [...] ocorreu em 1999. Todas as precauções foram tomadas para que o trabalho não apresentasse qualquer falha: uma equipe de engenheiros de primeira linha fez o projeto e cuidou da obra, sob a supervisão do internacionalmente reconhecido IPT."

O IPT confirmou que fez o laudo, concluído em 2000, com um conjunto de recomendações a serem seguidas para a manutenção da segurança do prédio. Desde então, não teve mais acesso ao templo.
Sobre os relatos de que parte do teto caiu na semana passada, para a igreja é "uma afirmação que beira o absurdo". "Para se ter uma ideia, os netos do apóstolo Estevam e da bispa Sônia [Hernandes, fundadores da igreja] estariam no culto neste domingo. Os filhos do bispo Gê [Geraldo Tenuta Filho], bispo primaz e presidente da igreja, estavam no culto. Ninguém faria isso de sã consciência, se soubesse que havia riscos."
A igreja pediu que "não sejam levantadas teses absurdas" e que "especulações são inadmissíveis nesse momento".

19 janeiro 2009

TRAGÉDIA e ACIDENTE: gente ficou ferida e outros morreram!

Por Caio Fábio


Uma tragédia acontecera. Pilatos misturara o sangue de alguns Galileus com o sangue dos sacrifícios que eles ofereciam em seu culto fora de lugar, fora do Templo de Jerusalém.

Outra tragédia aconteceu logo depois. A torre do Tanque de Siloé desabou e matou as 18 pessoas que lá estavam.

Jesus estava andando pelo país...

Então, chegaram as notícias.

“O Senhor soube? Soube o que Pilatos fez? Soube o que houve com os crentes na torre que caiu?”


Eles queriam um juízo, uma explicação, uma condenação, uma lógica moral. Afinal, esse negócio de tragédia — pensam os crentes —, é coisa para descrente e para crente em pecado; pois, a teologia dos crentes sempre foi a dos “amigos de Jó”: tragédia é o fruto do pecado; e é sempre juízo de Deus contra o pecador.

Sim! Desse modo pensam sempre os crentes, exceto quando a casa que cai é a deles!

Mas quando a casa cai e a residência é a do descrente ou a do crente “desviado ou em pecado”, então, está tudo explicado!

Jesus, porém, ouviu as insinuações que as “questões” induziam ao pensar, e, sem falar delas, apenas disse:

“Vocês pensam que os Galileus da tragédia eram mais pecadores do que os demais Galileus que não morreram? Ou que aqueles 18 sobre os quais a torre caiu eram mais pecadores do que os demais habitantes de Jerusalém? Em verdade eu digo a vocês não eram. Mas se vocês não se arrependerem, todos igualmente perecerão”.

Para Jesus telhados que caem são apenas telhados que caem; e podem cair sobre a cabeça de qualquer um. Para cair, basta estar no alto, e, para matar, basta que haja gente em baixo.

No entanto, sabendo como os “crentes das noticias de tragédias” são como pessoas, Jesus apenas disse:

Não é o modo da morte que conta. É o modo da vida que conta. Se vocês continuarem a viver assim, morrendo, sem Deus, porém cheios de religião, ainda que vocês morram de velhos, todos, todavia, independentemente do modo da morte, perecereis para a eternidade; posto que cuidaram apenas de julgarem os mortos, e não aprenderam a viver a vida dos vivos!

Não importa o modo da morte. Importa sim o modo da vida; pois, se não mudarmos de mente, todos, igualmente, veremos não um céu de gesso, como o da Renascer, cair na nossa cabeça, mas veremos os céus mesmo, desabando sobre nós e sobre nossas incuráveis arrogâncias.

Oro por todos. Por todos mesmo: os acidentados, os feridos, os enlutados, os aflitos...

Oro também para que, não pelo telhado ou pelas mortes, mas pela vida, que os responsáveis espirituais por este povo agora ainda mais perdido e confuso convertam-se à vida que é; e que não é como eles ensinam ao povo que seja; e a prova disso é que os telhados caem e não há ninguém que possa decretar ao contrário.

O convite de Jesus não é para que se pondere sobre as tragédias, mas sim sobre a vida que nunca é trágica, mesmo quando as tragédias se abatem sobre ela.

Sim! Tal vida não julga a Graça de Deus por dinheiro, prosperidade ou sucesso humano; mas, exclusivamente, pelo testemunho de coerência com o Evangelho, ainda que se esteja morrendo a morte mais louca e insana, como a de João Batista, cuja cabeça foi servida em um prato a fim de que Herodes fizesse a corte de uma jovem que ele desejava ‘comer’ como quem come um pedaço de picanha.

Silêncio! O Senhor está no Seu Santo Templo! Cale-se diante Dele toda a Terra!


Nele,


Caio
19 de janeiro de 2009
Lago Norte
Brasília
DF




Gate cometeu 'infração disciplinar' no caso Eloá, diz PM


FONTE: Globo.com

Após três meses de apuração, a Polícia Militar de São Paulo concluiu que houve “infração disciplinar” na conduta dos policiais envolvidos na operação de resgate que terminou com a morte de Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, em outubro de 2008. A versão preliminar do Inquérito Policial Militar (IPM) instaurado à época foi entregue na sexta-feira (16) à tarde ao Ministério Público Estadual (MPE).

O promotor José Roberto Jauhar Julião, designado pela Procuradoria-Geral de Justiça do Estado para acompanhar o caso, tem agora duas alternativas: arquivar o IPM ou enquadrar os policiais em crimes previstos no Código Penal Militar e denunciá-los à Justiça Militar. O promotor diz que só decidirá o que fazer depois que todas as perícias forem anexadas ao IPM, o que deve levar alguns dias.
Mantida em cárcere privado pelo ex-namorado Lindemberg Fernandes Alves, de 22 anos, por mais de 100 horas, Eloá foi morta em meio a invasão do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) ao apartamento em Santo André, na Grande São Paulo.

A amiga dela Nayara Rodrigues da Silva, que havia sido libertada dias antes e acabou retornando ao cativeiro a pedido dos PMs, foi baleada na boca, mas sobreviveu. Em depoimento, a adolescente afirmou que Lindemberg só efetuou os disparos contra ela e a amiga após perceber a movimentação do Gate.

No dia 8, juiz José Carlos de França Carvalho Neto, da Vara do Júri e Execuções Criminais de Santo André, decidiu que Alves vai a júri popular. A defesa do acusado recorreu da decisão do júri popular durante a própria audiência.

Chega a nove o número de mortos em desabamento na Renascer

FONTE: GloboNews


18 janeiro 2009

Teto da Igreja Renascer desaba na zona sul de SP; há mortos


FONTE: Estadão

SÃO PAULO - O teto da sede mundial da igreja evangélica Renascer, na Rua Lins de Vasconcellos, no Cambuci, zona sul de São Paulo, desabou completamente às 18h50 de ontem, no momento em que fiéis do culto das 17 horas saíam e outros chegavam para a celebração seguinte. Cerca de 400 pessoas estavam no local, que tem capacidade para 1.800 pessoas. Até as 23 horas, havia a informação, segundo o Corpo de Bombeiros, de pelo menos sete mortos e 55 feridos.

Quarenta viaturas dos Samu e do Corpo de Bombeiros faziam o resgate dos feridos, que eram levados de ambulância - algumas vindas de outras cidades - para diversos hospitais da região. Uma pista improvisada para pouso de helicópteros também foi montada no local.

Três imóveis nas imediações do templo foram evacuadas e interditadas pela Defesa Civil. Somente amanhã serão inspecionadas para saber se sofreram danos estruturais ou se poderão voltar a ser habitadas. É porque havia ainda o risco de novos desabamentos na área.

"Ouvi um barulho forte, como se fosse um furacão, e o teto caiu inteiro junto", disse o estudante Felipe Guimarães, de 17 anos, que estava sentado na primeira fileira e conseguiu se salvar. "Parecia um dominó. Corri, mas vi muita gente presa e pedindo socorro", contou Maria Cristina dos Santos, de 61 anos, que estava na porta quando o teto desabou. Segundo ela, um grupo de 20 crianças que estava perto da porta conseguiu escapar sem ferimentos.

Da porta da igreja, era possível enxergar os ferros retorcidos da estrutura e destroços. Diante do templo, bombeiros estenderam uma lona para prestar os primeiros socorros às vítimas. Segundo os bombeiros, ainda havia muitas pessoas soterradas. A maioria dos feridos foi levada para o Hospital do Jabaquara, na zona sul. Vinte macas estavam separadas no setor de emergência à espera de vítimas.

Cerca de 3 mil curiosos e evangélicos de outras igrejas foram ao local e houve tumulto. A reportagem presenciou pelo menos cinco brigas violentas. O repórter do Estado Gustavo Müller chegou a ser agredido com dois socos. A polícia tratou de afastar os curiosos da área de atendimento às vítimas e interditou as ruas da região. Uma parede lateral da igreja ameaçava desabar.

A Assessoria de Imprensa da Renascer informou, oficialmente, que no momento do desabamento havia poucas pessoas no templo - cerca de 60 estavam exatamente no local do desabamento - e que não havia crianças, apenas ministros da igreja.



Trânsito


A Avenida Lins de Vasconcelos foi interditada totalmente no trecho compreendido entre a Rua Heitor Peixoto até a Rua Dom Duarte Leopoldo. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) montou um desvio no local, que apresenta uma grande lentidão. O motorista no sentido Bairro-Centro, entra na rua Dom Duarte Leopoldo, Avenida Lacerda Franco, Rua Heitor Peixoto, rua Inglês de Souza, Rua Robertson, Rua Teodoreto Souto e rua dom Duarte Leopoldo Novamente. No sentido inverso, o desvio é o mesmo, segundo a CET.

A assessoria da Renascer divulgou nota pedindo para que a população evite a região. A grande movimentação de carros e pessoas estaria atrapalhando os trabalhos de resgate às vítimas do desabamento do teto do templo. Segundo testemunhas, fiéis estariam ajudando os policias militares a manter um cordão de isolamento no local, mantendo curiosos e jornalistas longe do acidente.


Testemunha


Um membro do coral da Igreja Renascer em Cristo contou à reportagem que conseguiu escapar do desabamento ao sair para beber água, cinco minutos antes do acidente.

O fiel, de prenome Marcelo, que não quis dar seu sobrenome, estava no altar, após o término do culto, disse ter saído para beber água em um bebedouro no lado de fora do prédio.

Quando voltava para o altar, encontrou um amigo e parou para cumprimentá-lo. Logo em seguida a luz apagou, Marcelo ouviu um forte estalo e viu o teto desabar.





Renascer


A igreja, considerada a segunda maior denominação neopentecostal brasileira, foi fundada em São Paulo, em 1986, por Estevam Hernandes e Sônia Hernandes, que foram presos em 2007 nos Estados Unidos, por entrar no país com dólares não declarados.

A Renascer controla hoje uma rede de TV, uma gravadora, rede de rádio, uma editora e possui a Fundação Renascer, mantenedora de suas obras assistenciais.

Estima-se haja hoje cerca de 1.500 templos espalhados por todo o Brasil e países como Argentina, Uruguai, Estados Unidos, Espanha, Japão, entre outros, somando mais de dois milhões de fiéis.

A Renascer é uma das mais conhecidas igrejas evangélicas do País. Em 2005, o jogador de futebol Kaká se casou no local. Em janeiro de 2008, o craque, que havia conquistado em 17 de dezembro do ano anterior o troféu de melhor jogador do mundo, esteve no templo para expor o prêmio. Ele passou a virada do ano num culto lá, junto com a mulher, Caroline Celico.

O templo que desmoronou está localizada na altura do número 1.000 da Avenida Lins de Vasconcelos.

Avião que fez pouso forçado no rio Hudson é resgatado


FONTE: Estadão

NOVA YORK - Equipes de resgate retiraram o avião da US Airways do fundo do rio Hudson na noite de sábado, 17, três dias após o piloto conseguir fazer um pouso forçado para evitar um acidente "catastrófico" em uma região povoada e salvar as 155 pessoas a bordo. Investigadores conseguiram recuperar as caixas-pretas, e os destroços revelaram a força com que o avião atingiu as águas.

Na manhã de sábado, o piloto do avião considerado herói, Chesley B. "Sully" Sullenberger, afirmou aos investigadores que teve muito pouco tempo para decidir como manobrar o avião, que tinha perdido potência nos motores, sentido que estava "muito baixo, lento", e próximo demais de muitos edifícios para ir para qualquer outro lado, de acordo com o depoimento para a Oficina Nacional de Segurança de Transportes.

Grande parte da porção frontal do avião ainda parecia estar pronto para a decolagem, em contraste com a incendiada asa direita, assim como a despedaçada turbina do mesmo lado, cuja parte externa parecia ter se desprendido. O tobogã de emergência ainda estava preso na aeronave, e uma das portas da cabine parecia aberta, mostrando o interior do equipamento. Um grande corte era visível da base do avião até algumas janelas, onde a fuselagem do avião simplesmente desapareceu.



Piloto herói

Após o espetacular pouso forçado no Rio Hudson, próximo ao centro de Manhattan, o piloto da US Airways Chesley Sullenberger virou herói em Nova York. Especialistas classificaram o trabalho de Sullenberger, que salvou a vida de 155 pessoas, como "magistral". O governador de Nova York, David Paterson, chamou o feito de "um milagre no Hudson".

O prefeito, Michael Bloomberg, classificou o piloto como "herói". A fama rendeu-lhe até uma homenagem na internet, onde foi criada na rede de relacionamento Facebook uma comunidade com o nome de "Fãs de Sullenberger". O piloto só abandonou o avião após todos os passageiros deixarem o aparelho. Gravações mostram que ele ficou calmo durante todo o percurso até atingir o rio.

Sullenberger, de 57 anos, é piloto da US Airways desde 1980, tem mais de 19 mil horas de voo e quase 40 anos de experiência. Antes, pilotou caças para a Força Aérea americana. Ele é conhecido no meio por sua habilidade em situações de emergência e estratégias de segurança, tendo colaborado em vários estudos na área para a Nasa e a Associação de Pilotos dos EUA.

O voo 1549 da US Airways ia de Nova York para Charlotte, na Carolina do Norte, quando os dois motores falharam menos de cinco minutos após a decolagem do Aeroporto La Guardia - acredita-se que vários pássaros atingiram as duas turbinas da aeronave. Sullenberger recebeu orientação para pousar no Aeroporto Teterboro, em New Jersey, mas concluiu que não conseguiria aterrissar e optou pelo pouso forçado no rio.

Caio Fábio em vídeo: "O Evangelho Penetrou em Você?"

17 janeiro 2009

Vale a pena congelar o cordão umbilical?


FONTE: Revista Época


A quantidade de escolhas que um casal precisa fazer quando descobre que está esperando um bebê é enorme. Algumas são tranquilas e prazerosas, como a opção pelo nome. Outras são acompanhadas de grandes gastos, como a maternidade e as consultas médicas. Hoje em dia, um outro dilema, que também pode resultar em um grande gasto, tem sido levantado para mães e pais: vale a pena guardar o sangue do cordão umbilical do bebê?

O maior problema na hora de decidir sobre isso é que há opiniões divergentes. Enquanto para os responsáveis por laboratórios privados, que oferecem os serviços, o armazenamento do sangue é comparado a um “seguro biológico”, muitas entidades médicas avaliam a prática como uma mera aposta, semelhante a práticas como o congelamento do corpo na tentativa de que ele ressuscitado no futuro, que não tem nenhuma indicação de benefício em pesquisas científicas.

A maior parte dos cordões continua sendo descartada logo após o parto em todo o mundo, mas o desenvolvimento da pesquisa com células-tronco e a descoberta de que o sangue do cordão possui uma grande quantidade delas fez com que o material adquirisse muita importância. Hoje em dia, o principal uso se dá nos transplantes de medula em casos de doenças como leucemias, linfomas e anemias graves – nesses casos, no entanto, o doador precisa ser um parente ou um estranho com código genético compatível, e não a própria pessoa. Os laboratórios privados, no entanto, promovem a utilidade da preservação recheando seus sites com relatos otimistas de pesquisas que indicam que a medicina será capaz, no futuro, de fazer as células-tronco regenerarem tecidos ou mesmo gerarem órgãos inteiros. E é justamente nesse ponto que a polêmica é maior.


Para a ciência, não há benefícios comprovados

“Não há nada que dê suporte científico a essa teoria de produção de órgãos e não está provado que o tipo de célula-tronco encontrada no sangue do cordão é útil para a medicina regenerativa”, afirma Luis Fernando Bouzas, diretor do Centro de Transplantes de Medula Óssea do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Bouzas explica que quase todas as células-tronco presentes no cordão umbilical são do tipo hematopoiéticas, que dão origem a células do sangue, e apenas 10% são mesenquimais – aquelas que comprovadamente têm maior capacidade de se diferenciar em células de ossos e músculos. Foi esse tipo de célula que cientistas usaram, por exemplo, para fazer uma nova traqueia com células-tronco da própria paciente na Espanha (leia mais sobre a técnica) no ano passado. “Além disso, se as células puderem, no futuro, ser usadas para curar um ataque cardíaco, por exemplo, uma criança nascida hoje só precisaria das células dentro de 60 anos, quando as técnicas para o tratamento convencional já estarão muito mais evoluídas”, afirma.

Por enquanto, ainda não há um tratamento médico consagrado que utilize o sangue do cordão umbilical para beneficiar a própria criança que teve o sangue armazenado. Tudo está no campo dos experimentos. “Além de ter uma indicação limitadíssima, os transplantes de células do sangue para a própria pessoa têm efeito paliativo, e apenas prolongam a sobrevida da criança”, afirma.

De acordo com um documento da Academia Americana de Pediatria (AAP), a chance de uma criança precisar das células contidas no sangue de seu próprio cordão umbilical é de apenas uma em 20 mil. A entidade também critica os laboratórios privados por abordarem os pais “em um momento emocionalmente vulnerável", vendendo a possibilidade da salvação da vida de seu filho. O fator agravante, e que gera críticas tanto no exterior quanto no Brasil, é o valor cobrado pelos serviços. Uma pesquisa feita por ÉPOCA encontrou orçamentos variando de R$ 3,5 mil a R$ 5 mil, além da taxa anual de manutenção, de cerca de R$ 600.


Quando congelar é indicado

A AAP recomenda que os pais só recorram a um banco privado no caso de uma mãe que está grávida ter um filho mais velho que sofra de doenças como a leucemia, por exemplo. Nesse caso, o sangue do irmão mais novo pode ser compatível com o do irmão doente e servir para salvar a sua vida. Esse é um dos argumentos mais fortes por parte dos laboratórios privados. “O fato de que a sobrevida é dobrada caso haja um grau de parentesco entre doador e receptor tem dado suporte aos pais que decidem armazenar o sangue para uso de seus familiares”, diz Karolyn Sassi Ogliari, diretora do laboratório Hemocord, sediado em Porto Alegre.

As instituições privadas também defendem a prática alegando que a medicina poderá desenvolver novas utilizações para o sangue do cordão umbilical e que as células-tronco preservadas estarão livres de agressões por fatores externos, como a poluição, o tabagismo ou o efeito de drogas. E defendem os valores cobrados. “Há pais que priorizam a decoração e iluminação do quarto do bebê ou o enxoval. Por que não fazer um seguro biológico para o seu filho?”, questiona Ana Paula Moreira, diretora técnica do laboratório Criocord, de Fortaleza.


A vantagem de um banco público

A atividade dos bancos privados de coleta de sangue do cordão umbilical é polêmica, mas também é regulamentada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo a resolução 153, de junho de 2004, os bancos privados só podem cobrar do usuário materiais e serviços, pois o sangue não pode ser objeto de comércio. Os laboratórios também têm a obrigação de “fornecer todas as informações sobre o procedimento, incluindo possíveis complicações e limitações da técnica”.

A existência desses laboratórios, assim como a real utilidade de seus serviços, também não é unanimidade na comunidade internacional. Os Estados Unidos têm cerca de 30 laboratórios privados, e há apenas dois anos montou um banco público. Tanto nos EUA como no Brasil, a rede privada pode ter ganhado espaço por conta da falta de estrutura pública para armazenar o material. Atualmente há apenas quatro locais para coleta pública no Brasil – o Inca, no Rio, o hospital Albert Einstein, em São Paulo, e os hemocentros de Campinas e Ribeirão Preto, no interior paulista. Até março, mais um centro será inaugurado, em Florianópolis e, até 2012, mais sete devem fazer parte da rede Brasilcord – em Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Distrito Federal, Fortaleza, Porto Alegre e Recife. “Além disso, outros hospitais poderão se associar para trabalhar em conjunto com a rede pública, o que deve dar mais tranquilidade para os pais”, afirma Luis Fernando Bouzas. Os bancos públicos são importantes porque o sangue armazenado pode salvar a vida de pessoas que sofrem de doenças como a leucemia.

Na Europa, a atuação dos bancos de sangue privados é restrita. A Itália, por exemplo, proíbe a existência deles. A França veta a venda das células, como o Brasil. Na Espanha, as famílias podem pagar um banco de sangue privado, mas o material fica disponível para o banco público. Se alguém precisar do material, a família tem que liberar, embora tenha o dinheiro gasto ressarcido.

Uma solução razoável pode ser a encontrada pelo bilionário Richard Branson, principal acionista do grupo Virgin, que atua com sucesso no ramo da música, de vôos baratos, viagens espaciais e até de armazenamento de sangue do cordão umbilical. No Virgin Health Bank, algo como Banco de Saúde Virgin, os pais pagam cerca de 1,5 mil libras (R$ 5,2 mil) para armazenar o sangue do cordão umbilical de seus filhos, mas 80% das células são doadas para a empresa, que as deixa disponível para crianças carentes. Embora melhor do que os bancos puramente privados, a saída de Branson não soluciona um problema importante: como a maioria das doações é de famílias com boas condições financeiras, muitas vezes pacientes de de grupos étnicos diferentes acabam morrendo por falta de um doador compatível.

Em carta a Lula, presidente da Itália expressa 'pesar' por caso Battisti



A cúpula petista está acostumada a acobertar bandido e, agora, resolveram estender sua cumplicidade a criminosos estrangeiros. (Riva Moutinho)

"O meu país e sua corja de assassinos, covardes, estupradores e ladrões... Vamos celebrar o horror de tudo isto com festa, velório e caixão." (Renato Russo - Perfeição)

FONTE: Globo.com

O presidente do Estado italiano, Giorgio Napolitano, enviou uma "carta pessoal" ao presidente Lula na qual expressa sua "profunda surpresa" com a decisão do Brasil de conceder asilo político a Cesare Battisti. As informações foram divulgadas neste sábado (17), em um comunicado da Presidência.

O presidente italiano manifestou a Luiz Inácio Lula da Silva sua "profunda surpresa" e seu "pesar" pela decisão do governo brasileiro de conceder o status de refugiado político ao ex-ativista de extrema esquerda condenado por vários homicídios e cuja extradição é exigida pela Itália.

O comunicado da Presidência italiana lembra que Battisti foi "condenado à prisão perpétua por ter sido considerado culpado, entre outras acusações, por quatro homicídios com fins terroristas".

Napolitano lembrou em sua carta as garantias constitucionais e jurídicas que a Itália oferece "incluindo os responsáveis por atos de terrorismo" e manifestou "a mais vívida comoção" provocada pela decisão brasileira, ressaltou o comunicado.


Lula

Na quinta-feira (15), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que a decisão de conceder asilo político ao ex-ativista italiano Cesare Battisti é uma “questão de soberania” e que as autoridades italianas terão de respeitá-la.

“A decisão brasileira é uma questão de soberania do estado brasileiro. Nós, assumindo uma posição soberana, tomamos posição de entender que essa pessoa poderia ter status de exilado no Brasil”, disse o presidente em visita a Ladario (MS), na fronteira com a Bolívia. "É uma decisão do estado. Alguma autoridade italiana pode não gostar, mas tem que respeitar”, disse Lula.



Battisti

Battisti foi condenado na Itália a prisão perpétua, por quatro homicídios cometidos nos anos 70, quando pertencia a um grupo de extrema esquerda que praticava atos terroristas, e foi preso no Rio de Janeiro em 2007. Os advogados do ativista no Brasil, entre eles o petista Luiz Eduardo Greenhalgh, comemoraram a decisão do ministro.



Autoridades italianas


Outras autoridades italianas, criticaram a postura do Brasil. O ministro da Defesa da Itália, Angelino Alfano, em entrevista à emissora "RAI", afirmou que seu governo pensa em enviar uma "instância de reflexão" a Tarso para que reconsidere sua decisão sobre Battisti, detido no Rio de Janeiro em 2007. Ele afirmou que estuda uma maneira de questionar a decisão no STF.

"Estamos frustrados e infelizes com a decisão do governo brasileiro", disse o ministro italiano da Justiça, Angelino Alfano.

O ministério italiano de Relações Exteriores pediu na quarta que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "reconsidere" a decisão sobre o asilo político. "A Itália faz um apelo ao presidente do Brasil, Lula da Silva, para que sejam tomadas todas as iniciaticas que possam promover, no quadro da cooperação judiciária internacional na luta contra o terrorismo, uma revisão da decisão judiciária adotada", diz a nota da chancelaria italiana.

16 janeiro 2009

ISRAEL x HAMAS: As Verdades não mostradas

Guerra por si só é uma desgraça. Que o diga Bush que pode ser intitulado como o "Senhor das Guerras", principalmente por ter tanto interesse egoísta por trás das que ele criou. Bom, mas não quero falar do Bush, que já vai tarde.

Jornais e revistas falam sobre os ataques que Israel tem realizado na faixa de Gaza e da quantidade de civis que são mortos. No entanto, ao meu modo de ver, o que Israel deseja não é diferente do que qualquer outro país do mundo deseja: paz e segurança. Como pode um país viver sob a ameaça constante de ter foguetes lançados sobre o seu território o tempo todo?

Imagine se na Argentina, por exemplo, existisse um grupo extremista que ficasse atirando foguetes no nosso território e o governo argentino não fizesse nada contra este grupo. Qual posição o Brasil deveria adotar?

Israel retirou todos os seus assentamentos da Faixa de Gaza e isto acabou servindo para que o Hamas vencesse as "eleições" por lá e dominasse o local expulsando de lá o grupo que tinha acertado tal acordo com os israelenses.

O Hamas não quer a paz, não quer que a Palestina seja um país. Eles querem a destruição total de Israel e de seu povo. Por isso educam suas crianças desde muito novas a odiá-los e isto serve apenas para propagar um ódio descabido.

No Acordo de Paz que está sendo buscado pelo Egito analise bem as propostas. As ações precisam vir apenas da parte de Israel: pare com os ataques, saia de Gaza, libere as fronteiras... e o Hamas? O que ele tem a oferecer de fato? Uma trégua de apenas um ano? Quem quer isso?

E ainda assistimos daqui a insanidade de Hugo Chavez acompanhada pelo seu puxa-saco Evo Morales que cortam relações diplomáticas com Israel expulsando os embaixadores de seus países.

Enquanto tudo isto acontece, veja abaixo algumas fotos que a mídia não tem interesse em mostrar.

Como disse, não sou a favor a guerra, mas o Hamas não é governo de lugar nenhum.

Riva Moutinho


clique na imagem para ampliar

15 janeiro 2009

Avião com mais de 150 pessoas cai em rio de Nova York


FONTE: Estadão

NOVA YORK - Um Airbus A320 com 148 passageiros caiu sobre o rio Hudson, em Nova York, nesta quinta-feira, 15, informou a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês). Todos a bordo, incluindo a tripulação de até seis pessoas, conseguiram escapar, confirmou um porta-voz do órgão.

De acordo com as autoridades, o voo 1549 da US Airways decolou de La Guardia às 15h26 (no horário local) e caiu poucos minutos depois, próximo à Rua 48. As causas da queda ainda estão sendo investigadas, mas segundo relatos de várias testemunhas citadas pelas imprensa americana, os motores da aeronave teriam sido atingidos por vários pássaros.

Após o acidente, o avião ficou parcialmente submerso na água gelada do rio, que separa a ilha de Manhattan do Estado vizinho de Nova Jersey, e as equipes de resgate dos bombeiros abriram uma porta de emergência, por onde todos foram retirados. Os bombeiros usaram botes para transportar as vítimas. "Muitos saíram com seus próprios pés", disse Laura Brown, porta-voz do FAA.

O piloto, ainda não identificado, alertou os passageiros que "se preparassem para um forte impacto com a água", declarou à rede de TV CNN um dos passageiros da aeronave resgatado após o acidente. Todo o procedimento de segurança para acidentes foi tomado pela tripulação.

"O motor explodiu. Havia fogo por todo lado, e o cheiro era de gás", afirmou o passageiro Jeff Kolodjay, num cais no centro de Manhattan. "As pessoas estavam todas sangrando. Caímos bem duro na água. Foi assustador", contou.

Segundo o FBI, polícia federal dos Estados Unidos, não há indícios de terrorismo no acidente. "Não existem informações desta vez que indiquem que esse foi um incidente relacionado à segurança", disse a porta-voz do Departamento de Segurança Interna do governo americano, Laura Keehner.

Brasil piora em ranking de mortalidade infantil do Unicef




FONTE: BBC Brasil

O Brasil pulou do 113º para o 107º lugar no ranking de mortalidade infantil (até cinco anos de idade), segundo o relatório anual do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Situação Mundial da Infância 2009, lançado nesta quarta-feira em Johanesburgo, na África do Sul

Os primeiros lugares do ranking de 194 países são ocupados pelas nações com mortalidade mais elevada, como Serra Leoa (1º lugar) e Afeganistão (2º). Seis países registraram as taxas mais baixas e ocupam a última posição no ranking: Suécia, Islândia, Cingapura, Luxemburgo, Andorra e Liechtenstein.

O relatório atribui a piora na posição do Brasil ao fato de o país ter registrado um índice de mortalidade de 20 por cada mil nascidos vivos em 2006. Em 2007, a taxa foi de 22 por cada mil nascidos vivos.

Mesmo com esse leve aumento, o Brasil ainda registra uma das mais altas reduções no índice de mortalidade infantil desde 1990. Com uma queda de 62% no período, o país teve a 18ª maior diminuição no índice entre os 194 países da lista - de 58 para 22 entre cada mil nascidos vivos.


Complicações

O relatório do Unicef afirma que mulheres nos países menos desenvolvidos do mundo ainda têm 300 vezes mais chances de morrer durante o parto ou por complicações na gravidez do que mulheres em países desenvolvidos.

O órgão da ONU diz ainda que uma criança nascida em um país em desenvolvimento tem quase 14 vezes mais chances de morrer durante o primeiro mês de vida do que uma criança nascida em um país desenvolvido.

"A cada ano, mais de meio milhão de mulheres morrem devido a complicações no parto, incluindo cerca de 70 mil meninas e mulheres jovens, entre 15 e 19 anos", afirmou Ann Veneman, diretora-executiva do Unicef.

"Desde 1990, as complicações relacionadas à gravidez e ao parto já mataram cerca de 10 milhões de mulheres", acrescentou.


Melhoras


O Unicef afirma que muitos países em desenvolvimento progrediram muito para melhorar as taxas de sobrevivência de suas crianças nos últimos anos.

O relatório aponta Níger e Malauí como exemplos por terem cortado quase pela metade as taxas de mortalidade entre crianças com menos de cinco anos entre 1990 e 2007, em 42% e 47% respectivamente.

Mas o mesmo progresso não foi observado na prevenção de risco para a saúde das mães e, embora as taxas de sobrevivência de crianças com menos de cinco anos esteja melhorando no mundo todo, os riscos para crianças nos primeiros 28 dias de vida ainda são altos em muitos países.

O Unicef afirma ainda que aproximadamente 99% das mortes do mundo causadas por complicações na gravidez ocorrem nos países em desenvolvimento, nos quais ter um filho ainda é um dos mais graves riscos à saúde para mulheres.

A grande maioria ocorre na África e na Ásia, onde as altas taxas de natalidade, falta de funcionários treinados e sistema de saúde deficiente colocam em risco a saúde das mães.

Os dez países com o maior risco de morte maternal durante a vida toda são Níger, Afeganistão, Serra Leoa, Chade, Angola, Libéria, Somália, República Democrática do Congo, Guiné-Bissau e Mali.

"Para salvar as vidas de mulheres e de seus recém-nascidos, é necessário mais do que apenas intervenção médica", afirmou Ann Veneman. "Educar as meninas é muito importante para melhorar a saúde de mães e recém-nascidos e também trará benefícios para as famílias e a sociedade."

14 janeiro 2009

UMA LIÇÃO DO GALINHO

Por Riva Moutinho


O Galinho Chicken Little é uma animação dos Stúdios Walt Disney que apresenta uma nova versão da fábula clássica de um Galinho que causa pânico generalizado quando confunde a queda de uma avelã com um pedaço do céu que está caindo. Assim o Galinho está determinado a recuperar a sua reputação quando tudo parecia estar indo a seu favor, um pedaço do céu cai de verdade sobre a sua cabeça e a cidade inteira não acredita nele até que... os fatos se escancaram a todos.

Esta animação que assisti há algum tempo me traz um ótimo aprendizado pra vida. Quantas pessoas conhecemos e que são rotuladas como “devaneantes”, ou como geradoras de tempestades em copos rasos d´água? Eu particularmente conheço várias que deram tanta ênfase a determinados assuntos que quando fui avaliar de fato, o “monstro” era muito menor do que se pensava.

continue lendo no Blog Infinito de Mim

12 janeiro 2009

Caio Fábio em vídeo: "A Marca da Graça nos Corações Sinceros"

Média com a mídia: Bolcheviquepropagandaminister de Lula prevê gastar 35% a mais em comunicação este ano

Por Jorge Serrão

FONTE: Alerta Total

Novidade seria o contrário. O Bolcheviquepropagandaminister de Lula prevê gastar 35% a mais em publicidade e propaganda, na comparação com o “investimento” do ano passado. O Orçamento para 2009, aprovado pelo Congresso, prevê verbas de R$ 547,4 milhões com comunicação social, que incluem a propaganda institucional e de utilidade pública da Presidência da República e de todos os ministérios.

Ano passado, o governo tinha uma dotação de R$ 406 milhões e contratou R$ 240,6 milhões. Em 2009, a Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência terá disponíveis R$ 155 milhões - mais 26,5% que em 2008. Desse total, R$ 139 milhões são destinados à publicidade institucional. O fato de 2009 ser véspera de ano de eleição presidencial é mera coincidência

A "Gestão de Política de Comunicação de Governo", comandada pelo jornalista Franklin Martins, contará com R$ 184 milhões em 2009. Serão R$ 16 milhões para utilidade pública e R$ 123,2 milhões para propaganda institucional. Serão R$ 16 milhões para utilidade pública e R$ 123,2 milhões para propaganda institucional.

A chamada publicidade institucional engloba as campanhas realizadas pelo governo sobre seus principais programas, como Bolsa Família, Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e ainda sobre a questão dos alimentos e sua valorização no mercado internacional. A mídia fica mais bem amestrada quando recebe uma fatia mais gorda de publicidade e propaganda.

Um outro foco da estratégia de comunicação do governo é melhorar a imagem do Brasil no exterior. O objetivo seria atrair novos investimentos, divulgando o Brasil junto a potenciais investidores. O governo alega que existe uma total falta de comunicação entre os órgãos encarregados da promoção comercial e os responsáveis pela imagem do País no mundo.

09 janeiro 2009

Inflação pelo IPCA tem alta de 5,90% em 2008

FONTE: Estadão

- A última edição da revista britânica The Economist afirma que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá de governar na defensiva neste ano, apesar de seus altos índices de popularidade. Um dos principais motivos para isso seria a crise econômica.

No artigo, intitulado "Lula's last lap" ("A última volta de Lula"), a publicação afirma que os altos índices de popularidade do presidente - classificados como "espantosos" para um segundo mandato - podem dar uma aparência de "onipotência" a Lula, mas que ela é apenas "ilusória".

"Até as eleições (presidenciais, do ano que vem), a maior parte das energias de Lula deve ser gasta no gerenciamento da crise", diz a revista. O texto afirma que muitos brasileiros que esperam que 2009 seja melhor que 2008 devem se "decepcionar", já que a economia apenas começou a sentir os "solavancos" da crise.

Para a Economist, a tarefa de gerenciamento da turbulência econômica deve ser complicada, já que o espaço para lançar estímulos fiscais no Brasil é "limitado".

A revista compara a situação do país com a do Chile, que anunciou nesta semana um plano de estímulo de US$ 4 bilhões e que pode facilmente administrar o déficit fiscal resultante, por ter acumulado reservas quando o preço do cobre - seu maior produto de exportação - estava alto.

"Mas o governo brasileiro, que tem uma dívida pública muito maior, precisa preservar o seu superávit fiscal para reter a confiança dos proprietários de títulos." A revista ainda afirma que a arrecadação de impostos deve diminuir com a retração da economia.

Para a publicação, se a inflação continuar preocupante, o que fará com que o Banco Central evite cortes na taxa de juros, o governo vai começar a ser pressionado - "especialmente pelo PT" - para encontrar outras maneiras de estimular o crescimento econômico, o que pode incluir mais crédito para a agricultura e empreiteiras.

"Nos últimos anos, todas as vezes em que a economia apresentava problemas, os políticos brasileiros acalmaram os mercados demonstrando seu compromisso com a ortodoxia econômica. Alguns analistas se preocupam que este compromisso pode ser débil. Mas, neste ano, com governos ao redor do mundo intervindo nos mercados, os investidores devem ficar seguros se o Brasil fizer o mesmo - até certo ponto", diz a revista. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

08 janeiro 2009

Termina depoimento de Nayara no fórum de Santo André

FONTE: GloboNews

07 janeiro 2009

CLIP BARÃO VERMELHO: "CUIDADO"

Me apaixonei pelo rock desde minha adolescência e a cada dia que passa sinto uma saudade de tantos terem ficado ao longo do caminho, mas deixaram muitas coisas para nós refletirmos.

E ainda bem que o Barão Vermelho continua por aqui e esta é mais uma música que nos leva a uma reflexão, nos leva ao rock n´roll.

Serve para mostrar do que muito mais que um estilo musical, o rock n´roll é uma busca por reflexões que nos levem a conscientizarmos de algo.

Rebelde, inovador, imoral, insano... Dêem os adjetivos que preferirem, de qualquer maneira gerações foram revolucionadas por este estilo.

Salve o Rock n´Roll!!!

Riva Moutinho




Para conhecer a letra da música acessem o Blog Infinito de Mim

06 janeiro 2009

Israel diz ter matado 130 militantes do Hamas em quatro dias


FONTE: BBC Brasil

O Exército israelense afirma ter matado 130 militantes do grupo palestino Hamas desde o início da ofensiva terrestre na Faixa de Gaza, na noite se sábado.

Nesta terça-feira, as forças israelenses intensificaram os ataques no território, chegando até Khan Younis, no sul.

Pelo menos 18 palestinos teriam morrido nas últimas horas. O governo israelense desmentiu a informação de que o Hamas teria matado dez soldados israelenses e disse que três de seus homens foram mortos por fogo-amigo.

Os soldados, da brigada de elite Golani, foram mortos acidentalmente por um projétil lançado por um blindado israelense. Três outros soldados teriam tido ferimentos graves e outros 20 sofreram ferimentos leves.

As informações sobre os acontecimentos em Gaza são limitadas pela proibição, por parte de Israel, de que jornalistas estrangeiros entrem na região.

Estima-se que até agora cerca de 560 palestinos tenham sido mortos nos dez dias de conflitos na região e outros 2.500 teriam sido feridos.

Autoridades médicas palestinas afirmam que pelo menos 110 pessoas morreram desde o início dos ataques terrestres.

Por outro lado Israel afirma que quatro soldados e quatro civis morreram nos dez dias de ofensiva.


Diplomacia

Rejeitando os apelos internacionais por um cessar-fogo, o ministro da Defesa israelense, Ehud Barak afirmou na segunda-feira que as operações em Gaza continuarão até que o Hamas seja derrotado.

“Ainda não atingimos nossos objetivos", disse ele a parlamentares israelenses.
Barak afirmou ainda que o grupo militante palestino Hamas sofreu um "duro golpe" desde que os ataques a Gaza começaram, há dez dias.

Até agora, os esforços diplomáticos para colocar um fim à crise na Faixa de Gaza têm sido infrutíferos.

Em visita oficial ao Oriente Médio, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, deve chegar nesta terça-feira a Damasco, na Síria, junto com uma delegação da União Européia, em uma tentativa de convencer o governo sírio a usar sua influência sobre o Hamas para que o grupo palestino aceite um plano de cessar-fogo.

Nesta segunda-feira, Sarkozy manteve conversações com líderes israelenses e palestinos.

Ele acusou o Hamas de agir de forma “irresponsável e imperdoável” ao lançar foguetes contra Israel e pediu ao governo israelense que interrompa a violência para permitir a entrada de ajuda na região.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, deve participar de um encontro do Conselho de Segurança da ONU nesta terça-feira para pressionar por uma ação do órgão na região.

Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, conversou por telefone com a chanceler israelense, Tzipi Livni, e reiterou a posição do governo brasileiro sobre a necessidade de um cessar-fogo rápido.


Crise humana

Enquanto a ofensiva continua, as condições de vida da população de Gaza estão se deteriorando cada vez mais, com os suprimentos de comida, água e trigo escasseando.

O norueguês Mads Gilbert, um dos dois médicos estrangeiros que trabalham no maior hospital de Gaza, o Al-Shifa, afirmou que as salas de operação estão cheias e que muitas pessoas estão morrendo por causa da falta de recursos.

Israel afirma que os civis não são alvos dos ataques, mas Gilbert diz ter visto apenas dois militantes em meio a centenas de mortos.

A Organização das Nações Unidas afirma que cerca de 1 milhão de pessoas na região sofre com a falta de energia elétrica e que muitos podem sofrer com a fome nos próximos dias.

Dominic Nutt, da agência humanitária Save the Children, disse à BBC que as condições na região estão se deteriorando rapidamente.

“Eles não têm água a maior parte do dia, não há eletricidade, eles estão com muito frio. As janelas têm que ficar abertas para evitar que se quebrem com os bombardeios”, diz.

“Crianças estão sofrendo risco de hipotermia, elas estão subnutridas, não há comida o suficiente. A situação está ficando desesperadora”.

Centenas de palestinos estão deixando suas casas, apesar dos perigos de se movimentar no território.

Israel afirmou ter permitido a entrada de 80 caminhões contendo comida e remédios através da fronteira de Gaza com o Egito.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More