Featured Video

14 setembro 2007

Ameaça de Renan na sessão secreta do Senado: “Aqui não tem ninguém melhor que eu. Todo mundo é igual”

Por Jorge Serrão


FONTE: Alerta Total

Foram do PT cinco dos seis senadores que se abstiveram, covardemente, da votação que inocentou o presidente do Congresso. O sexto foi o próprio Renan, que cometeu a inconfidência de revelar o próprio voto. A percepção é dos senadores que participaram da vergonhosa sessão nada secreta que absolveu Renan Calheiros, em 12 de setembro. A ata da sessão ficará guardada, intocável, durante 20 anos, no cofre do Senado. Mas a verdade da reunião fechada começa a vazar no território livre da Internet. Vários senadores abriram o áudio para seus gabinetes. O segredo escapa a conta-gotas.

A sessão foi um show de cinismo. Rindo o tempo todo, Renan Calheiros promoveu um espetáculo de ameaças, em seus 36 minutos de discurso. No plenário, avisou que sabia muito da República e advertiu que o acordo firmado com o Planalto garantiria sua permanência no Senado. Renan irritou vários senadores, por abusar da retórica cínica na sua indefensável argumentação: “Aqui não tem ninguém melhor ou pior do que eu. Todo mundo é igual”.

O peemedebista Pedro Simon lhe encarou de frente, advertindo, que não era igual a ele: “Foi você quem traçou seu próprio destino político. Ele vai ser traçado por você, e não pela gente. Se você ganhar, vai ficar exposto. Você já expôs você sua família”. Renan Calheiros saiu da linha e mandou Pedro Simon calar a boca. O velho senador gaúcho o desafiou: “Cale a boca Vossa Excelência. Se você encontrar alguma ranhura minha, eu renuncio antes de você. Agora, prova”. Renan calou a boca. Simon ressaltou que o presidente do Congresso precisa ter sua folha límpida, o que não era o caso de Renan.

A situação de Renan é além de insustentável. A vitória dele, na anti-democrática sessão secreta e a portas fechadas, transformou-se em uma derrota perante a opinião pública. Mais de mil pessoas telefonaram para o 0800 do Senado, até às 20 horas de ontem, para protestar contra a decisão de 40 a 35, com seus covardes abstenções. Renan terá mesmo de renunciar á presidência do Senado, conforme ficou combinado com o Palácio do Planalto. O problema é que Renan está perdendo o timing para tirar o time de campo. A oposição vai obstruir as votações no Congresso, para pânico do presidente Lula da Silva.

Ao fim da sessão, o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) - um dos 13 deputados que brigou e conseguiu no Supremo Tribunal Federal assistir à sessão secreta - deu um berro que ecoou na consciência dos senadores: “Vocês acabaram de assassinar a República”. Muitos tiveram de abaixar a cabeça. Pelo menos os 35 que tiveram vergonha na cara de votar contra Renan Calheiros devem ter se sensibilizado com a explosão de Gabeira.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More