Featured Video

18 julho 2007

IML identifica vítima de acidente aéreo; número de mortes chega a 65

FONTE: Folha online

O IML (Instituto Médico Legal) identificou na madrugada desta quarta-feira uma das vítimas do acidente com o Airbus da TAM, que derrapou ao pousar em Congonhas (zona sul de São Paulo), atravessou a avenida Washington Luís e atingiu o prédio da TAM Express e um posto de combustíveis, na noite de terça (17). Houve explosão e um incêndio de grandes proporções. Até o começo da manhã desta quarta, a Secretaria da Segurança Pública contabilizava 65 mortes.

A caixa-preta do Airbus A-320 da TAM foi localizada no início da madrugada. A expectativa é que as informações contidas no equipamento ajudem a esclarecer o acidente. O avião havia saído de Porto Alegre com 180 pessoas a bordo --174 passageiros e seis tripulantes, de acordo com a companhia aérea.

O Corpo de Bombeiros descarta encontrar sobreviventes na aeronave. Se confirmadas todas as mortes, será o maior acidente da história do país --a queda do Boeing da Gol, em setembro de 2006, causou 154 mortes.

Equipes de resgate permanecem no local. Segundo a Secretaria da Segurança, das 65 mortes confirmadas, três pessoas chegaram a ser retiradas com vida, mas não resistiram aos ferimentos.

Informações preliminares apontam que a identificação de Osvaldo Luiz de Souza foi possível porque ele não teria sido atingido pelo incêndio causado pelo acidente. Teria sofrido ferimentos causados pela queda de escombros do prédio.

Outra vítima identificada é Michele Dias Miranda, funcionária da TAM Express --empresa de transporte de cargas--, que chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Vítimas

O IML (Instituto Médico Legal) montou uma força-tarefa para receber e identificar os corpos das vítimas do acidente com o vôo 3054 da TAM. O coordenador da Superintendência da Polícia Técnico-Científica, Celso Perioli, afirmou que este será o maior desafio já enfrentado pelo IML, devido ao grande número de vítimas.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou luto oficial de três dias no país em memória das vítimas do acidente. O prefeito Gilberto Kassab (DEM) também decretou luto oficial no município.

O governo federal determinou que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e a TAM prestem o atendimento que for necessário aos familiares e às vítimas do acidente. O ministro Franklin Martins (Comunicação Social) disse acreditar que o acidente tenha sido provocado por uma tentativa do piloto do Airbus em arremeter a aeronave após constatar problemas no pouso. O ministro afirmou, no entanto, ser precipitado opinar sobre as causas do acidente sem que as investigações sejam concluídas pela Aeronáutica.

Familiares

Enquanto equipes dos bombeiros buscam vítimas, parentes e amigos das vítimas aguardam informações.

No Rio Grande do Sul, uma sala do aeroporto Salgado Filho foi reservada pela Infraero (estatal que administra os aeroportos do país) aos familiares e amigos dos passageiros. Em São Paulo, parentes e amigos dos passageiros aguardam informações na sala de autoridades do aeroporto de Congonhas.

João Loli Jr.,26, reclamou da demora na divulgação da lista de passageiros. Segundo ele, o cunhado Claudemir Arriero chegava a São Paulo e seria recebido pelo pai, que já estava no aeroporto e ouviu quando o barulho causado pelo acidente e demorou para ter a confirmação dos nomes dos ocupantes da aeronave. A TAM informou que a divulgação dos nomes foi lenta porque dependia da confirmação do embarque dos passageiros.

A empresa aérea disponibilizou o telefone 0800-117900 para familiares e amigos dos passageiros do vôo 3054.

Relatos

Funcionário de uma consultoria de desenvolvimento de sistemas em São Paulo, Fabrício Costa, 29, afirma que renasceu. Ele havia viajado a Porto Alegre para visitar um cliente e afirma que deveria retornar a São Paulo no vôo 3054. "Eu acabei mais cedo o compromisso, cheguei no aeroporto e consegui antecipar para o [vôo] 3052, graças a Deus."

"Ainda não caiu a ficha. Eu olho para o bilhete lá... eu poderia estar no vôo", disse.

O analista de suporte técnico de informática da Varig Levi Lourenço saía do trabalho quando ouviu o barulho do avião caindo. Como não conseguiu ver o acidente, pensou se tratar de um teste de turbina, como ocorre normalmente no prédio em que trabalha.

Segundo Levi, o avião da TAM tentou aterrissar na pista principal do aeroporto, derrapou e atravessou a Washington Luís, próxima à rua Otávio Tarquínio de Souza. "Como não conseguiu pousar, o avião atingiu o prédio do serviço de carga da TAM", disse.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More