Featured Video

11 junho 2007

PF: Deputado pode ter ligação com jogo ilegal

FONTE: Globo.com

O deputado estadual pelo Mato Grosso do Sul José Ivan de Almeida (PSB), que já comandou a Polícia Militar do estado, pode estar envolvido com o esquema de exploração de jogos ilegais desarticulado na Operação Xeque-Mate, de acordo com gravações telefônicas feitas pela Polícia Federal.

Coronel Ivan, como é conhecido o deputado, é proprietário de 12 máquinas caça-níqueis, segundo a PF. Ele também teria reclamado do faturamento com o jogo ilegal.

Uma gravação mostra ele conversando com Ari Silas Portugal, um dos presos pela PF na operação.

De acordo com a PF, por conta do foro privilegiado a Coronel Ivan, a parte do inquérito relacionada a ele foi remetido à Procuradoria.


Coronel Ivan - "Eu, em vinte dias, recebi R$ 2.500,00. Eu vou parar com esse negócio"
Ari Portugal - "Ô doido coronel"
Coronel Ivan - "Não R$2.500,00, eu tenho certeza que vocês não receberam só isso"
Coronel Ivan - "Não quero mais.. Eu quero só que vocês me devolvam aquelas 12 máquinas que são minhas. O restante eu não quero nem saber"
Coronel Ivan - "Ari, se você for fazer as contas, sério, eu tenho mais de R$ 100 mil pra receber de vocês..."
Ari Portugal - "Deputado, o senhor tá....eu vou chamar o Michel"
Coronel Ivan - "Não, chega, chega, olha aqui ficou certo que toda sexta-feira cada um pegar R$ 3.500 reais, vocês estão pegando que eu sei...."
Ari Portugal - "Ficou certo..."
Coronel Ivan - "Não, eu não tenho recebido nem a metade disso"


Procurado pelo Jornal Hoje, o deputado disse que só falará do assunto quando for convocado a prestar depoimento e que a conversa gravada nada tem a ver com máquinas caça-níqueis.


Depoimentos

O delegado da Polícia Civil Marcelo Vargas e o coronel da Polícia Militar Marcos David dos Santos prestaram depoimento na PF na manhã desta segunda-feira (11). Os dois negaram envolvimento com jogos ilegais.

"Se houvessem apurado qualquer irregularidade, teria sido decretada minha prisão junto com os demais", disse Marcelo Vargas.

Marcos David dos Santos disse que uma pessoa ouvida apenas citou seu nome.

O delegado da PF Aldo Brandão, acusado de provocar vazamento de informações sobre a Operação Xeque-Mate, não prestou depoimento como estava programado. De acordo com a assessoria da PF, ele justificou sua ausência alegando problemas de saúde e apresentou um atestado médico, no qual pede afastamento por 30 dias. Somente após esse período ele poderá ser interrogado.


Novos interrogatórios

A PF voltará a interrogar nesta segunda-feira (11) suspeitos já ouvidos pelos delegados na Operação Xeque-Mate.

Isso acontecerá devido a divergências nos depoimentos já tomados. Haveria nesta manhã acareação entre suspeitos, no entanto, após acordo entre a PF e o Ministério Público, ficou definido que as acareações ocorreriam somente em juízo. Os interrogatórios dos suspeitos já ouvidos podem ser realizados ainda nesta segunda.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More