Featured Video

27 junho 2007

O LEÃO, A PASTORA E O GUARDA-ROUPA
Comentado por Pr. Caio Fábio

Amado Riva: Graça e Paz!

Li a matéria e até a já citei no dia de hoje aqui no site.

Tenho apenas algumas observações a fazer sobre o que essa moçada chama de espiritualidade.

Vi o vídeo e outros do gênero, inclusive o outro que se diz ser o originador do show de Anápolis: uma espécie de plágio de transe.

Assim, pergunto:

  1. Você pode imaginar Jesus dizendo — “Naquele Dia vesti minha túnica sem costura, pus as sandálias que o centurião romano me deu, tomei de uma pequena vara que me foi doada pela Siro-Fenícia, olhei meu rosto contra o reflexo do Poço de Siloé, e disse: ‘Você é o Filho de Deus! ’”? Ou pode você ver qualquer pessoa séria do Evangelho, ou nas narrativas bíblias, sentirem as coisas assim? Ou o que diria Pedro à cantora? Sim! Ele que disse que o que deve ornar as mulheres é um coração manso e moderado? Mas para essa moçada do “Bom Dia Espírito Santo” (discípulos de tudo o que fez mal à fé e àquilo que um dia foi igreja), o Espírito Santo se tornou o Costureiro, o Design de Moda, o camareiro da cantora.

  1. Você pode imaginar qualquer dos apóstolos dizendo que começou a pular e a levantar as pernas, numa sensação alucinantemente gostosa, no meio de uma Praça de Roma ou Éfeso, apenas porque teve um click? Esse entusiasmo não vem do Espírito, mas de outras fontes. Vem até da fuga.

  1. Você pode imaginar alguém de confiança no Evangelho dizer que, de repente, no areópago, após ter um click que o fizera dançar como uma das sacerdotisas de Afrodite fazia, em transe ante o público; e, após um tempo, ter ouvido de um discípulo que disse estar vendo o Leão, com fogo ao redor; e que, em razão disso, a pessoa pulante viesse a se jogar no chão, totalmente consciente de si (fazendo do transe anterior uma farsa); e, após isso, começar a andar como uma leoa, de quatro, com um Sure bem fálico na mão, indo de um lado para o outro; enquanto pensava: “É… agora a minha reputação acabou. Agora vou ver quem vai ficar comigo”? Sim! Porque houve transe para tudo: para andar de quatro; para virar Leão porque alguém disse; e porque outros igualmente do ramo já fizeram a mesma coisa. E mais: houve tempo no transe para se preocupar com a própria “reputação”. E ainda: houve transe para (no transe no qual ela se preocupa com sua própria reputação) receber direção de palco do próprio Leão, etc. Só não houve transe em dois momentos: quando ela teme pela reputação; e quando ao terminar o show do Leão, a moça disse que não sabia como levantar e nem o que dizer. Então, na dúvida, assim procedeu: “Quando parei, não sabia como ou que fazer ao me levantar. Ainda no chão, me ergui de meio corpo e gritei: “Um brado de vitória ao Senhor”, (sem saber se alguém responderia), e o som foi poderoso.” Portanto, a imagem pública tem tudo a ver com tais transes, para o bem e para o mal. Assim, que transe é esse? Ou não está o espírito dos profetas sujeito aos próprios profetas? Acontece que esses profetas são pró-festas; e pronto.

  1. Você pode imaginar que nos ensaios deste grupo eles recebam o Leão, sem Sure na mão, sem luzes e palco, sem show e público? Sim! Porque se eles assim fizerem sozinhos; ou, melhor ainda: sem ninguém, no quarto ou em casa — mesmos achando tudo uma grande maluquice, e mesmo sabendo que tais coisas são manifestações da alma sem raiz no espírito do Evangelho, porém possessa de vaidades que decorrem das síndromes de lúcifer que acometem “estrelas” (soberba psicológica, sutil e progressiva), ainda assim eu respeitaria como engano e infantilidade sinceros. Mas no palco, com os aparatos dos shows, em suposto transe que não suspende a preocupação com a imagem nem na hora de receber o Leão — fica difícil sequer apenas olhar o lado da loucura psicológica e apenas para o surto de messianismo narcisista, pois, as implicações sobre milhares de alminhas tolas, são fortes e danosas.

Lamento muito!

Por que começam no Espírito e terminam sempre no espírito Costureiro, ou Banqueiro, ou Interesseiro?

Por que não podem amar a sobriedade e apenas buscarem ser o que Jesus ensinou?

Por que será que sem loucura eles não conseguem crer no poder de Deus?

A palavra que conhecem é a de seus corações e não a que é Sobre seus corações; pois, caso tivessem a palavra na Palavra e não em seus impulsos sem a Palavra, jamais fariam loucuras desse tipo em nome do Leão da Tribo de Judá.

Ninguém deixe de vigiar a fim de não brincar com fogo estranho!

Sim! É preciso ter cuidado com o fogo estranho. É preciso lembrar sempre dos filhos do sacerdote Arão.

Isso, amigo Riva, é o que tenho a dizer como coisa que julgo séria e importante.

Um beijo!

Nele, que é o Leão de Judá, mas nunca andou de quatro e nunca rugiu para mostrar que era,

Caio

27/06/07

Lago Norte

Brasília

**************************************

Caso não tenha lido o relato-texto ainda: CLIQUE AQUI
Confira o comentário de Riva Moutinho ao relato-texto em questão: CLIQUE AQUI

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More