Featured Video

21 maio 2007

Navalha: PF investiga Silas Rondeau

FONTE: Globo.com

A Políicia Federal investiga agora o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. Segundo a PF, e teria recebido R$ 100 mil de propina em troca do favorecimento da construtora Gautama em uma licitação.

A fraude no programa 'Luz para Todos', que leva energia para zonas rurais, começou antes mesmo da concorrência pública. A quadrilha, liderada por Zuleido Veras, não tinha como perder. A Polícia Federal afirma que ele conduziu a licitação do início ao fim e contava com ajuda dentro ministério para receber o dinheiro adiantado.

Zuleido Veras comandou a fraude com a ajuda de seis funcionários, um empresário e vários servidores, entre eles o ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau.

O chefe da quadrilha esteve várias vezes na sede do ministério em Brasília, onde se reuniu com o ministro Silas Rondeau e com o diretor do programa Luz para Todos, José Ribamar Santana.

Depois que tudo foi acertado no ministério, um funcionário sacou o dinheiro em uma agência da Caixa Econômica Federal em Salvador. Logo depois, outro funcionário da Gautama, identificado como Florêncio Vieira, foi para o aeroporto com uma mala cheia de dinheiro e decolou para Brasília.

Segundo a Polícia Federal, em Brasília, ele encontrou-se com Tereza Lima, secretária particular de Zuleido, e entregou a ela uma sacola que estaria cheia de dinheiro. O dinheiro teria sido repassado a Fátima Palmeira, diretora financeira da Gautama, que foi a escolhida por Zuleido Veras para ir ao Ministério de Minas e Energia pagar a propina.

O encontro aconteceu no dia 13 março e foi registrado por câmeras internas de segurança do ministério. Fátima repassou ao assessor especial, Ivo Almeida Costa, um pacote com R$ 100 mil. O dinheiro, segundo a Polícia Federal, teria sido entregue ao ministro Silas Rondeau.

Nada a temer

A assessoria do ministério de Minas e Energia contestou a Polícia Federal. Em comunicado, disse que não há câmeras voltadas para o gabinete de Silas Rondeau.

O ministro de Minas e Energia Silas Rondeau negou as acusações, disse que não acredita que existam provas contra ele e que no fim da apuração ficará provada a inocência dele. No momento, ele está no Paraguai.

"Não podemos nos basear em informações que surgem a cada momento", afirmou. Ao ser questionado sobre as provas que a Polícia Federal disse ter contra ele, o ministro foi categórico: "não existem provas porque é uma mentira. Não há prova contra uma mentira."

Ele afirmou também que está absolutamente à vontade para permanecer no cargo. "Eu estou absolutamente à vontate até o presidente, que é o dono do cargo, decidir sobre isso. Eu não tenho nada a temer em um processo como esse, estou convicto que nada venha a comprometer. Isso será provado na justiça", afirmou Rondeau.

A quadrilha também agia nos estados. Gravações da Polícia Federal mostram como eram feitas as negociações. Nos prédios públicos de Brasília, a quadrilha tentava se aproximar de autoridades.

***************************************
Pra variar, integrante do Governo Lulla envolvido em esquema de corrupção.
O ciclo é viciante!

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More