Featured Video

29 abril 2007

PEDRO SÓ NEGOU TRÊS VEZES
Por Riva Moutinho

Pensionante Dei Saraceni - Óleo sobre tela
Museu do Vaticano

“Disse-lhe Pedro: Ainda que venhas a ser um tropeço para todos, nunca o serás para mim.

Replicou-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, tu me negarás três vezes.

Disse-lhe Pedro: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei. E todos os discípulos disseram o mesmo.” (Mt.26:33-35)


Nunca negarei a Cristo. A certeza de Pedro, acompanhada pelos outros apóstolos, não é diferente da nossa nos nossos dias. Mas será que a nossa realidade é diferente da realidade ocorrida na vida de Pedro?

Pedro caminhou com Cristo, ouviu Suas palavras pessoalmente, viu as curas realizadas por Ele, sentiu todo o amor que emanava Dele, participou da ceia ao lado Dele. Pedro, no nosso modo de pensar, tinha todas as experiências palpáveis para sempre seguir e estar ao lado de Cristo em todos os momentos. No entanto assim não aconteceu.


“Ora, estava Pedro assentado fora no pátio; e, aproximando-se uma criada, lhe disse: Também tu estavas com Jesus, o galileu. Ele, porém, o negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes.

E, saindo para o alpendre, foi ele visto por outra criada, a qual disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o Nazareno. E ele negou outra vez, com juramento: Não conheço tal homem.

Logo depois, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente, és também um deles, porque o teu modo de falar o denuncia. Então, começou ele a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem! E imediatamente cantou o galo.” (Mt. 26:69 - 74)


As negações incisivas de Pedro no momento em que os maiorais de Jerusalém incriminavam a Jesus mostraram o quanto Pedro estava errado diante da sua certeza. Talvez porque esta certeza estava alicerçada no emocional dele e não nos ensinamentos que Cristo tinha passado. Talvez por não enxergar a possibilidade de um período ruim, mesmo diante de tantos avisos. Talvez porque Pedro confiava mais em si do que em qualquer outra coisa. Mas não estou escrevendo para acusar ou para julgar a Pedro.

Coloque-se no lugar de Pedro e viva cada momento que ele passou com Cristo antes de negá-lo. Abdique-se do seu eu e se preencha de sinceridade diante de si mesmo. Suas palavras seriam diferentes das de Pedro? Suas atitudes seriam diferentes das de Pedro?

Em algum momento da sua vida, Jesus te chamou para estar ao lado Dele. Então, Ele começou a lhe ensinar a Sua Palavra. Seu julgo foi se tornando leve, seu coração foi ganhando alegria, sua esperança o brilho da presença do Espírito Santo. Ele te curou. Você viu outras pessoas serem curadas. Ele te libertou. Você viu outras pessoas serem libertas. Você sentiu o inundar do amor de Cristo no seu interior. Mas, suavemente, um novo ensinamento foi lhe passado.

Alguém lhe disse que existiam maldições hereditárias na sua vida, mesmo depois de você ter aceitado o sacrifício de Jesus na cruz, e por isso as coisas não caminhavam bem na sua vida. E você acreditou.

Depois vieram com a idéia que pra se conseguir as bênçãos que Deus tem reservado você precisaria se sacrificar. Subir dias e dias no monte, jejuar até conseguir (e aí te passaram os vários tipos de jejuns existentes), participar de correntes durante 7 ou mais dias. Resumindo, as suas atitudes te transformariam num merecedor das bênçãos de Deus. E você acreditou.

Leram versículos do livro de Malaquias e disseram que sua obediência gerava automaticamente a proteção de Deus na sua vida. Seu dinheiro virou moeda aceita entre os anjos. E você acreditou.

Trouxeram uma questionável água do Rio Jordão, ungiram rosas, mini cajados, mini vasos de barros, lenços, te deram trigo, mirra. Ensinaram que você deveria levar pra casa para espantar os espíritos ruins, para trazer a presença, a proteção e as bênçãos de Deus. E você acreditou.

Pensamento positivo. Alguém ensinou que você precisaria falar apenas coisas boas, inundar a sua mente somente com palavras positivas e, sendo assim, afastaria maldições rotineiras, vivendo feliz pelo poder das suas palavras. E você acreditou.

Introduziram um objetivo o qual você deveria desprender suas forças para “Comer o melhor da terra”. Prosperidade é prioridade, o Reino é supérfluo. E você acreditou.

Num dado momento você se torna o elemento certo, vivendo num grupo certo, buscando interesses em comuns para se conquistar a terra humana: poder, fama, dinheiro, ser o número 1. Buscai primeiro o reino deste mundo. E você acreditou.

E Jesus?


“Então, voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera...” (Lc. 22:61)


Os Evangelhos relatam a atitude de Pedro pós negação.

O tempo chamado Hoje relatará a sua.

FAÇA CONTATO:Clique Aqui


(O advérbio SÓ utilizado no título deste texto é um convite-desafio para, ao invés de olharmos o argueiro no olho de Pedro, possamos contemplar as traves nos nossos olhos)

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More