Featured Video

20 março 2007

Delúbio volta à cena em festa de aniversário de Dirceu

FONTE: Estadão

SÃO PAULO - A festa de 61 anos do ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado José Dirceu teve a presença de poucos integrantes do governo ou de petistas de alta patente. Mas nem por isso a lista de aproximadamente 2 mil convidados deixou de surpreender. Pouco após as 21h30 da segunda-feira, 19, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares - protagonista do escândalo do mensalão - circulava sorridente pelo salão do bar Avenida Club, na zona oeste da capital paulista.

Delúbio, que desde as denúncias envolvendo o esquema de financiamento irregular de campanha no PT levava uma vida reservada, mostrava-se feliz em reencontrar os amigos. Com cabelos compridos, aparelho nos dentes e casaco de couro preto, era abraçado a cada dois passos ao lado da mulher, Monica Valente. Alguns convidados gritaram logo que o avistaram: "Você por aqui, nem acredito!" Abordado por jornalistas, Delúbio sorria, mas não deu nenhuma declaração. À certa altura ficou muito próximo a Dirceu, mas os dois não se olharam nem se cumprimentaram.

Entre os presentes estavam o tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, o deputado estadual Rui Falcão, o jornalista Ricardo Kotscho, além de personalidades como o arquiteto Ruy Ohtake e os atores Antonio Grassi e Antonio Abujamra. Mas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou de fora. Dirceu admitiu não tê-lo convidado. De acordo com ele, o presidente "tem mais o que fazer".

A julgar pela festa, não faltará apoio para uma eventual campanha em favor de sua anistia. O assunto esteve presente inclusive no discurso do ex-ministro, que voltou a dizer que não quer "impunidade ou prescrição" e irá lutar para provar o que julga ser sua inocência. "Vamos começar, sim, a campanha pela minha anistia. Mas vamos fazer do jeito nosso. Vamos fazer na base do PT", disse Dirceu, enquanto alguns convidados gritavam "volta, Zé".

"Mas quem vai fazer a minha campanha são os que me apóiam, que querem lutar pela minha anistia. Não sou eu, não é o PT, não é o governo", completou. "Não vou aceitar viver com a acusação que me fizeram de ser chefe de quadrilha." O líder sem-terra José Rainha avisou que trabalhará pela anistia de Dirceu. "Sou companheiro dele do começo ao fim."

Lembrando as declarações feitas pouco após deixar o governo de que, para ele, "bastava ser Zé Dirceu", aproveitou para se colocar como apenas um entre os muitos militantes do PT que comemoraram a reeleição de Lula. "Sou hoje aquilo que eu devo ao Brasil e ao PT. Quando digo que basta ser Zé Dirceu, quero dizer que basta ser um de vocês."

Segundo assessores de Dirceu, o ex-ministro não desembolsou nada para realizar a festa. Por ser amigo do proprietário do Avenida Club, ele acertou um esquema pelo qual todos os convidados pagaram seu próprio consumo, assegurando, assim, a receita da casa. Foi oferecido um bolo aos convidados com cobertura vermelha e decorado com a estrela branca do PT.

PARTICIPE DA ENQUETE

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More