Featured Video

Visão Mundial

Somos uma organização não governamental cristã, brasileira, de desenvolvimento, promoção de justiça e assistência, que, combatendo as causas da pobreza, trabalha com crianças, famílias e comunidades.

Wikileaks

Somos uma organização sem fins lucrativos dedicada a trazer informações importantes para o público.

Greenpeace

Somos uma organização global e independente que atua para defender o ambiente e promover a paz, inspirando as pessoas a mudarem atitudes e comportamentos.

Associação de Assistência à Criança Deficiente

Somos uma entidade privada, sem fins lucrativos, que trabalha há 60 anos pelo bem-estar de pessoas com deficiência física.

Médicos Sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária internacional, independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam.

28 fevereiro 2007

COMO NASCE UM PARADIGMA
enviado por Walden Carvalho


Um grupo de cientistas colocou 5 macacos numa jaula, em cujo centro pôs uma escada e sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jato de água fria nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o enchiam de pancada.

Passado mais algum tempo, nenhum macaco subia a escada, apesar da tentação das bananas. Então os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo rapidamente retirado pelos outros, que lhe bateram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não subia mais a escada.

Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo primeiro substituto participado, com entusiasmo, na surra ao novato. Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o fato. Um quarto e, finalmente, o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas ficaram, então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam a bater naquele que tentasse chegar às bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles por que batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria:

" Não sei, as coisas sempre foram assim por aqui... "

Não perca a oportunidade de passar esta história para os teus amigos, para que, de vez em quando, eles se questionem por que fazem (ou não fazem) certas coisas.






" É MAIS FÁCIL DESINTEGRAR UM ÁTOMO DO QUE UM PRECONCEITO."
( Albert Einstein )

Senado adia votação da maioridade penal

FONTE: Globo.com

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado decidiu adiar a votação da redução da maioridade penal no país, inicialmente prevista para esta quarta-feira (28). Em vez de votar a proposta, a CCJ criou uma comissão especial de seis senadores para discutir o assunto por um prazo de 30 dias, prorrogável por mais 15. Somente depois disso, o tema será votado.

A criação de uma comissão especial foi negociada na tarde de terça-feira (27) em reunião entre os senadores da CCJ e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e sugerida na sessão desta quarta pelo senador Tasso Jereissaiti (PSDB-CE).

A idéia inicial era estabelecer 60 dias para o trabalho da comissão, mas um acordo fixou esse período na metade. No limite, o prazo poderá chegar a 45 dias, se houver prorrogação.

A redução da maioridade estava na pauta da CCJ havia duas semanas e deveria ter sido votada nesta quarta. A maioria dos integrantes da CCJ, porém, preferiu aceitar a sugestão de Tasso e adiar a votação, embora o próprio presidente da CCJ, Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), tenha sido contrário.

"A comissão tem o direito de decidir. Mas tenho que dizer que defendo a redução da maioridade baseado em estudos", disse ACM, que presidirá a comissão especial sobre o tema.

Também contrário ao adiamento, o relator das emendas constitucionais que tratam do tema, senador Demóstenes Torres (PFL-GO), pediu em seu relatório a redução da maioridade dos 18 para 16 anos nos casos de crimes hediondos, tráfico de drogas ou tortura.

São classificados como crimes hediondos, por exemplo, homicídio qualificado, latrocínio, extorsão seguida de morte, seqüestro, estupro, atentado violento ao pudor, entre outros.

"Desconfio muito dessas teses que querem colocar nas custas da pobreza a culpa pela criminalidade. Se a pobreza fosse responsável pela criminalidade, porque teríamos deputados e senadores ladrões?", indagou Demóstenes.

"Não vai ser a redução da maioridade que vai resolver a criminalidade. Mas já é alguma coisa", disse o senador, para quem "é melhor ter pessoas não recuperadas nas cadeias do que nas ruas".

Já o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), contrário à redução da maioridade, pretendia apresentar uma proposta de aumento do prazo de internação de um adolescente infrator dos atuais três para dez anos.

Pressionado por entidades de defesa dos direito da criança e do adolescente contrárias a essa sugestão, o senador preferiu defender a proposta de Tasso de criação de uma comissão para debater o assunto. "Ninguém vai se omitir nesta Casa. O que nós queremos é encontrar uma resposta eficaz e abragente", disse o petista.


Câmara adia

Na terça (28), foi a Câmara que adiou a votação de projetos sobre segurança pública. Sem acordo, os líderes partidários decidiram não votar no plenário o projeto que acaba com a prescrição retroativa ao crime, mecanismo em que o tempo da pena de um criminoso começa a contar a partir do recebimento da denúncia ou da data do crime cometido, antes de ocorrer o julgamento.

Segundo o projeto, a prescrição do crime passa a valer somente após a data da publicação da sentença do acusado. Uma nova reunião foi marcada para quinta-feira (1) para discutir o assunto.

De acordo com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), o tema voltará para o plenário na próxima segunda (5). "Houve uma ponderação dos líderes dada a complexidade do assunto", disse.


A CCJ também adiou a votação do projeto que dobra de 360 para 720 dias o período de reclusão no regime disciplinar diferenciado (RDD), de segurança máxima, aos presos envolvidos com organização criminosa dentro da cadeia.

Integrantes da CCJ pediram vista coletiva (mais prazo para analisar o projeto), autorizada pelo regimento da Câmara. A comissão deve retomar a discussão do projeto, aprovado no Senado em 2006, na próxima semana.

O RDD, considerado o modelo mais rígido dentro das penitenciárias, prevê o recolhimento do preso em cela individual; visitas mensais com, no máximo, dois familiares, separados por vidro; comunicação por meio de interfone; banho de sol de até duas horas diárias, sem direito a conversa com outros presos; proibição de entrega de alimentos, bebidas, entre outras coisas. Se aprovada na CCJ, a proposta seguirá para o plenário da Câmara.

Ainda estava na pauta da CCJ o projeto que concede o direito à delação premiada a um preso condenado. Ou seja, o preso poderia diminuir sua pena se colaborasse com as investigações. Atualmente, somente pessoas denunciadas ou sob investigação têm direito a esse benefício. A votação da proposta, porém, também foi adiada.

***************************************************

Definitivamente precisamos mudar a consciência que existe no Brasil. Primeiro, porque por aqui medidas só são tomadas depois que a desgraça acontece. Segundo, que quando utilizam essas medidas é como se elas começassem de trás pra frente. Por isso que os resultados são tão desastrosos.

Querem reduzir a maioridade penal. Tudo bem, até aí eu concordo, mas vai colocar estes ex-maiores onde? Os presídios do Brasil são terríveis. São universidades do crime. Nem bloquear ligações de celulares, oriundas dos presídios nosso governo tem competência pra fazer.

Tudo isso é um circo. A pressão da opinião pública faz com que estes políticos criem uma matrix para as câmeras de TV. É ridículo!

Por que não começam com uma revisão profunda e alteração do Código Penal Brasileiro, hein?

FAÇA CONTATO

STF autoriza a magistrados estaduais salário de R$ 24,5 mil

FONTE: Estadão

BRASÍLIA - O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu nesta quarta-feira uma liminar suspendendo a validade de um dispositivo constitucional que limitava o teto salarial dos desembargadores estaduais em R$ 22.111. Com a decisão, esses magistrados poderão receber até R$ 24,5 mil por mês, que é o valor da remuneração paga aos ministros do STF. Para os servidores do Judiciário dos Estados, o teto continua a ser de R$ 22.111.

A decisão do Supremo é mais um capítulo da tumultuada novela do teto salarial do Judiciário cuja fixação prometia impor cortes em supersalários pagos atualmente pelo Poder. Ela representa uma nova derrota do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão que exerce o controle externo do Judiciário e que no início do ano concluiu que os magistrados dos Estados deveriam ganhar no máximo R$ 22.111.

No ano passado, o mesmo CNJ havia entendido de forma diversa, ou seja, que o teto estadual poderia ser de R$ 24,5 mil. No julgamento desta quarta, os ministros do STF entenderam que o Poder Judiciário é nacional e que não pode ter discriminação entre as esferas federal e estaduais.

Pela decisão, os desembargadores podem chegar a receber R$ 24,5 mil se tiverem direito a gratificações, por exemplo, por exercício de cargos de direção em tribunais. Mas o salário de desembargador continua em R$ 22.111. Por isso, em tese, a decisão não implicaria em aumento de salário dos desembargadores e dos demais juízes estaduais.

"Os ministros afirmaram que essa solução é necessária para resguardar o caráter unitário da estrutura nacional (do Poder Judiciário)", afirmou o relator da ação no STF, ministro Cezar Peluso, após o julgamento.

O resultado do julgamento, cujo placar ficou em 10 a 1, surpreendeu, já que em dezembro do ano passado o plenário do STF concedeu uma liminar para suspender uma resolução do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que havia fixado o teto remuneratório para os integrantes do MP federal e estaduais em R$ 24,5 mil.

"A diferença é que o Ministério Público não é uma instituição unitária de caráter nacional e não é regida, em conseqüência, por uma lei orgânica unitária. De modo que eles podem ter diferenças de tratamento. Juiz é uma coisa, ministério público é outra e polícia outra. Justiça estadual é um ramo burocrático do mesmo Poder Judiciário. Diferente do Ministério Público, que pertence a cada Executivo", afirmou Peluso.

A decisão do STF foi comemorada por dirigentes de entidades representativas de juízes. Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), entidade autora da ação, Rodrigo Collaço, ressaltou que o Supremo reconheceu o caráter nacional da Justiça. "O Poder Judiciário é unitário e nacional e todos têm de ficar submetidos ao mesmo teto, que é R$ 24,5 mil", afirmou. "Existe agora um teto único para magistratura."

Segundo ele, a decisão tem "conseqüência muito mais política, de afirmação da magistratura estadual como uma magistratura que está no mesmo nível das demais".

Supersalários

A presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Ellen Gracie, havia comunicado no dia 28 de novembro que existem 2.978 casos de pessoas no Judiciário que recebem salários superiores a R$ 22.111,00 - valor então máximo que podia ser pago aos juízes conhecidos como desembargadores -, e determinou que os Tribunais de Justiça cortassem os supersalários.


A ENQUETE DESTE MÊS ESTÁ FINALIZANDO. PARTICIPE

26 fevereiro 2007

Em 2006, PIB do Brasil só bate o do Haiti, de novo

FONTE: Blog Josias de Souza

O IBGE divulgará na próxima quarta-feira uma má notícia. Refere-se ao resultado do PIB no ano de 2006. Ficará abaixo de 3%. Segundo as perspectivas dos agentes do mercado financeiro, divulgadas nesta segunda-feira (26) pelo Banco Central, a economia brasileira cresceu no ano passado só 2,7%. Uma previsão muito próxima da que foi feita pela Cepal: 2,8%.

Seja 2,7% ou 2,8%, o desempenho do PIB brasileiro voltará a ocupar posição constrangedora no ranking das economias latino-americanas. Superará apenas o desempenho do Haiti (2,5%). Ficará muito atrás da República Dominicana (10,7%), da Venezuela (10,3%), da Argentina (8,5%), do Uruguai (7,3%) e até do Paraguai (4%).

O desempenho do Brasil será acanhado também na comparação com os países do chamado BRIC –sigla que reúne as letras iniciais das quatro principais economias emergentes do mundo. A China cresceu 10,7% em 2006. O governo da Índia estima que seu desempenho de sua economia será positivo em 9,2%. A Rússia cresceu 6,8%.

As autoridades da equipe econômica brasileira já ensaiam o discurso que irão esgrimir a partir da divulgação dos dados acerbos do IBGE. Dirão, em uníssono, que a situação de 2007 será diferente. Brandindo o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), acenarão com crescimentos mais expressivos nos anos vindouros: entre 4% e 4,5% em 2007 e 5% em 2008.

São previsões dissociadas do ânimo do mercado. Conforme as opiniões recolhidas pelo Banco Central, os agentes financeiros brasileiros apostam em 3,5% para 2007 –percentual idêntico ao previsto pela Cepal. Cravam os mesmos 3,5% para 2008. confirmando-se essas expectativas, o Brasil empataria no penúltimo lugar com o Paraguai, superando, novamente, apenas o Haiti, cuja previsão de crescimento para 2007 é de 3%.

Aos pouquinhos, o Brasil vai perdendo o bonde da prosperidade mundial. Tomando-se apenas a América Latina, o crescimento médio em 2006 foi, segundo a Cepal de 5,3%. Para 2007, prevê-se que o continente crescerá 4,7%.

Em meio a essa atmosfera adversa, o governo anuncia para março a revisão da metodologia adotado pelo IBGE para calcular o PIB. Pretende-se, entre outras coisas, aumentar o peso do setor de serviços, que estaria subestimado no cálculo atual. Se não for muito bem explicadinha, a revisão soará como uma "mandracaria".

A ENQUETE ESTÁ FINALIZANDO... PARTICIPE

25 fevereiro 2007

A UNÇÃO DO PIRILIM PLIM PLIM
por Riva Moutinho

Foto: João Parassu

Quantas vezes você ouviu que o Brasil tem tudo pra ser uma super potência?

Quantas vezes você pensou que você tinha tudo pra ser feliz?

Quantas vezes você já encontrou uma idéia que seria ideal para a solução de algum problema?

Quantas vezes nós ouvimos falar que o Brasil é um país emergente?

Quantas igrejas você vê abertas com seus evangelhos de “sai capeta”?

Só lembro de ter visto algum tipo de mágica em algum tipo de show.

No resto... nadinha.

Já conseguiu fazer dinheiro surgir do nada?

Já conseguiu concluir uma faculdade sem fazer vestibular?

Já conseguiu fazer omelete sem quebrar os ovos?

Neste país do “jeitinho”, muitos gastam seus pensamentos maquinando como levar vantagem, enquanto
outros gastam seus tempos reclamando com um lado que nada pode fazer.

No mais a grande maioria parece esperar que uma mágica aconteça, afinal o conformismo e a inércia emplacaram no interior humano.

Raros são os que buscam que os seus direitos sejam respeitados.

Muitos comentam os roubos que emanam do Congresso ou das Câmaras ou das Assembléias ou do próprio Palácio do Planalto, mas no momento de votarem, elegem os mesmos.

Ouvimos, vemos, lemos e presenciamos a violência todos os dias, no entanto quais têm sido nossas atitudes? Talvez você seja uma daquelas pessoas que sequer faz um boletim de ocorrência na polícia. Talvez você seja aquela pessoa que comenta do nível altíssimo de violência apenas com todos que estão ao seu redor. Talvez você seja aquela pessoa que a cada novidade da violência você cria um meio pra se defender e assim vai vivendo. Uma criança foi arrastada por 7km e daí?. Permanecemos do mesmo jeito. É como se nada tivesse acontecido.

No evangelho do “sai capeta”, a benção boa é se der lucro. Negócio bom é comprar rede de TV e mostrar os “sai capeta” ao vivo, ensinar as mandingas, as crendices, criar superstição. O Apóstolo faz lavagem de dinheiro; a Bispa engana com voz doce; um outro, depois de adquirir um gigantesco terreno, quer um jatinho e assim vamos vivendo. O império do evangelho do engano cresce a plenos pulmões, mas e daí? Afinal quem nasce ou se torna marionete, morre marionete, certo?.

E por aí vamos caminhando.

Todos querem um país melhor. Todos querem seus direitos. Todos querem segurança. Todos querem que o Brasil seja de primeiro mundo. Todos querem acreditar em alguma coisa. Mas só querem. Que tudo isso aconteça num passe de mágica, pois no que depender de mim... ahhhh... estou muito ocupado. Não me arrume mais trabalho. Por favor, agora não! Afinal um pau sozinho não faz mata virgem, né?

Se não tenho atitude de mudar a mim, ou de brigar pelos meus direitos, ou de exigir do responsável o meu direito a segurança pública, ou de buscar informações e não apenas ouvir e praticar o que falam, se não tenho atitude de sequer ler a Bíblia, me diga então como as coisas mudariam?

Se eu não mudo a mim, como posso crer que o outro mudará? Mágica?

Pirilim plim plim...



FAÇA CONTATO

Verbas compram reportagens em imprensa regional

FONTE: Folha online

Do total da "verba indenizatória" que a Câmara destinou aos deputados em janeiro, 15% se referem ao ressarcimento de supostos gastos com a chamada "divulgação do mandato parlamentar". A Folha constatou que o dinheiro público é usado, entre outras coisas, para fins eleitorais e para a compra de reportagens benéficas aos deputados em órgãos de imprensa regionais.

O caso mais evidente é o do líder da bancada do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), que afirmou, em um primeiro momento, manter um contrato com o jornal que controla, a "Tribuna do Norte".

O diário publicaria notícias sobre as atividades do deputado em Brasília e, em troca, receberia como remuneração a verba do deputado destinada à "divulgação do mandato".

"Tem contrato, tem recibo, tudo direitinho do jornal, tem recibo guardado, tudo direitinho", afirmou o deputado, em um primeiro contato.
Depois, ele retificou: "Não é um contrato formal. Eu pago e eles dão recibo."

O peemedebista afirma que as "reportagens" são produzidas quase sempre por meio de entrevistas que ele concede ao seu assessor de imprensa.

Entre as "reportagens" destacadas pelo deputado está a sua eleição para a liderança do PMDB, uma entrevista sobre o apoio do PMDB a Luiz Inácio Lula da Silva e a descrição da sessão para a eleição do novo presidente da Câmara, presidida por ele em 1º de fevereiro.

"Quando fui presidir a eleição da Câmara, publicamos uma página inteira, uma foto nossa, tenho dez mandatos. Tô no décimo mandato, aí fizemos uma página no jornal muito bonita", disse. Alves presidiu a sessão por ser o deputado com o maior número de mandatos.

Em janeiro, ele foi reembolsado pela Câmara em R$ 10,5 mil por gastos a título de "divulgação do mandato". Ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o líder do PMDB declarou um patrimônio de R$ 1 milhão, que inclui ações em rádio e TV.

Exemplo semelhante a Folha encontrou no gabinete do deputado Osvaldo Reis (PMDB-TO). Dois de seus assessores afirmaram, em conversa informal, que parte da "verba indenizatória" é usada para pagar "notas" nos meios de comunicação de Tocantins e do sul do Maranhão, área de atuação política do deputado.

De acordo com eles, se não houver pagamento, não sai nenhuma notícia sobre o deputado na imprensa local.

Uma vez remunerados, as rádios e jornais, ainda segundo os assessores, reproduziriam na íntegra as informações prestadas pelo gabinete do deputado.

O argumento foi usado para justificar a impressão de 20 mil exemplares de um tablóide, ao custo de R$ 13 mil, para distribuição aos eleitores de Osvaldo Reis. O jornal, de oito páginas, se resume à transcrição de dois discursos do deputado no plenário da Câmara, à relação de seus projetos apresentados, à listagem das emendas que ele apresentou ao Orçamento da União e à sua biografia.

O uso político da verba também fica explicitado no caso do deputado João Caldas (PR-AL).

Acusado de envolvimento na máfia dos sanguessugas, ele não se reelegeu.

No último mês de mandato, admitiu ter gasto os R$ 15 mil da verba indenizatória para fazer uma "prestação de contas" de seu período na Câmara. Disse ter mandado cartas para que as pessoas não se esquecessem dele. "Político tem que interagir com a sociedade", defendeu.

Não reeleito, o ex-deputado Babá (PSOL-PA, que se candidatou pelo RJ) também gastou 100% da verba indenizatória a que tinha direito em janeiro, dos quais R$ 10,6 mil para "divulgação da atividade parlamentar".

Ele disse ter gasto o valor com a publicação de um livreto reunindo algumas de suas idéias e bandeiras, entre elas a defesa do não-pagamento da dívida externa.

"Foi distribuído gratuitamente", explicou, acrescentando que sempre fez parte de sua atuação política a publicação de boletins do gênero.

Outro lado

Deputados ouvidos pela Folha defendem o uso da verba indenizatória no mês de recesso do Congresso com o argumento de que os trabalhos nos Estados não são interrompidos no período. Também lembram que o uso da cota tem previsão legal.

Alguns deputados, entretanto, defendem uma rediscussão sobre os diferentes benefícios recebidos além do salário, hoje de R$ 12,8 mil mensais.

O deputado Eduardo Gomes (PSDB-TO), que afirmou ter gastos de R$ 15,1 mil em janeiro, dos quais R$ 15 mil foram justificados sob a rubrica "divulgação da atividade parlamentar", disse ter gasto o valor na produção e veiculação de vídeos referentes a projetos de sua autoria.

O deputado Gonzaga Mota (PSDB-CE), que não foi reeleito e gastou R$ 15 mil com consultoria no último mês de seu mandato, disse ter utilizado a verba para pesquisas referentes a um centro de estudos avançados do Nordeste, que promete tentar implantar. "Os órgãos do Nordeste vem sendo esvaziados", afirmou.

Também não reeleito, o deputado Babá (PSOL-PA) foi um a alegar que o fato de não ter atividade na Câmara em janeiro não interrompeu suas atividades políticas no período. "Sempre publiquei boletins", afirmou. Ele apresentou gastos de R$ 15 mil em janeiro, dos quais R$ 10,6 mil com "divulgação da atividade parlamentar".

Os ex-deputados Josias Gomes (PT-BA) e José Rajão (PSDB-DF) não quiseram explicitar com o que gastaram as verbas recebidas pela Câmara. Também não reeleito, o ex-deputado João Caldas (PR-AL), que gastou R$ 15 mil em janeiro, disse ter feito uma "prestação de contas do mandato" e defendeu que o político "tem que interagir com a sociedade".

O deputado Clóvis Corrêa (PSB-PE) reconheceu que o melhor seria aumentar o salário dos parlamentares e então reduzir ou pôr fim às cotas extras. Ele disse ter utilizado a verba para enviar correspondências com a descrição do mês em que assumiu o mandato -- ele era suplente.

O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) defendeu o uso da verba em janeiro afirmando que o trabalho do deputado em sua base aumenta no recesso.

Maninha (PSOL-DF), não reeleita, afirmou ter gasto R$ 14 mil em pagamentos de pareceres de advogados sobre a legalidade de ela continuar ou não como integrante do Parlamento do Mercosul. Ela tomou posse neste parlamento em 14 de dezembro, mas foi excluída pela Câmara com o fim de seu mandato.

A assessoria de Osvaldo Reis (PMDB-TO) apresentou à Folha todas as notas fiscais dos gastos relativos a janeiro, no valor de R$ 22,1 mil. O gasto acima do limite será compensado com um gasto menor neste mês.

Júlio César(PFL-PI), com gastos de R$ 22,7 mil, afirmou que parte do valor se refere a uma nota fiscal de fevereiro, embora o serviço tenha sido prestado em janeiro. Ele afirmou que, por estar no interior do Piauí na sexta, não tinha como detalhar em que gastou a verba. O valor excedente também será compensado por gasto menor em fevereiro.

A assessoria do deputado reeleito Alex Canziani (PTB-PR) disse, por escrito, que os R$ 12,5 mil gastos com consultoria tiveram por objetivo "subsidiar e munir o parlamentar" de pareceres sobre a implementação dos consórcios públicos. "O deputado tem como plano de trabalho para 2007 a implantação, no Paraná, de parcerias municipais na área da saúde e também a criação de vários pólos regionais do programa de ensino à distância proposto pelo Ministério da Educação, o que será efetivado através da legislação dos consórcios públicos." O deputado gastou R$ 22 mil.

A reportagem procurou outros deputados e ex-deputados, mas ou não conseguiu localizá-los ou não obteve resposta.

****************************************
É pra rir?!
Não. Definitivamente não dá pra rir diante desta reportagem.
Mas dá pra enviar um email para o Presidente da Câmara, o deputado Arlindo Chinaglia:
dep.arlindochinaglia@camara.gov.br

PARTICIPE DA ENQUETE

24 fevereiro 2007

Elogio a Corrupção - Parte 2 - por Ipojuca Pontes

FONTE: Mídia Sem Máscara

Voltando ao tema do poder da corrupção no Brasil da Era Lula, cada vez mais robusto, continuo a desfilar relação de pessoas da vida política acusadas de envolvimento com a dita cuja. A despeito dos escândalos do dossiêgate, sanguessugas e mensalão, elas continuam firmes como o Pão de Açúcar.

Caso 5 – José Dirceu. Ex-chefe da Casa Civil do governo Lula e homem forte do PT, ajudou a promover dentro do partido as figuras de José Genoino, Delúbio Soares, Silvinho Pereira e Marcelo Sereno, sendo considerado um dos responsáveis pela chegada do operário-relâmpago ao Planalto. Guerrilheiro sem guerrilha, mas amigo de Raúl Castro (substituto de Fidel no comando de Cuba, a ilha-cárcere), Dirceu, com seus métodos bolchevistas, foi tido no relatório final do mensalão, assinado pelo procurador-geral da República Antonio Fernando de Souza, como o “chefe do organograma delituoso” da “sofisticada organização criminosa” – no conceito já clássico do Procurador-geral sobre a ex-cúpula do PT.

Lembramos que dias antes de deixar a chefia da Casa Civil, em 2005, Zé Dirceu garantiu num jantar em Madrid, Espanha, que o governo petista ficaria no poder no mínimo dezesseis anos, na certa pensando em sentar ele próprio na cadeira de Lula depois do segundo mandato.

Hoje: semana passada, ao saber da adesão do PSDB à candidatura de Arlindo Chinaglia à presidência da Câmara, o cassado Dirceu, num jantar em Lisboa, esfregou as mãos: “É a vitória do meu candidato!”

De fato, com Chinaglia presidente da Câmara a anistia de Dirceu fica praticamente assegurada. Daí à presidente da República é só um passo – claro, se Lula não quiser amarrar o bode pela terceira vez.

Caso 6 – Antonio Palocci. De formação trotskista, ligado ao Comitê de Solidariedade aos Movimentos de Libertação Nacional da Colômbia (leia-se Farcs), Palocci transformou-se de repente no “gênio” das finanças nacionais ao adotar, como ministro da Fazenda, o que os esquerdistas chamam de modelo econômico “neoliberal”.

Na gestão da prefeitura da Ribeirão Preto, o trotskista foi acusado de receber, segundo o assessor e algoz Rogério Buratti, a propina mensal de R$ 50 mil, arrancada da Leão & Leão, a empresa prestadora de serviços conivente com esquema de superfaturamento em contrato de coleta de lixo com a Prefeitura de Ribeirão.

A boa estrela de Palocci apagou-se quando o caseiro Francenildo Costa, ao confirmar a presença do ministro em embalos, churrascos e negócios insondáveis numa mansão do Lago Sul, teve o seu sigilo bancário quebrado por solicitação ministerial, um ato que estarreceu a Nação e levou Palocci a renunciar o cargo.

Hoje: eleito deputado federal depois de campanha milionária, Palocci já se instalou em apartamento de Brasília e adotou um estratégico estilo “low profile”. Mas é viável que assuma cargo ministerial no provável 3ª mandato do “companheiro” Lula.

Caso 7 – Ricardo “Peroba” Berzoini. Conhecido, quando ministro da Previdência Social, como o “cruel carrasco dos velhinhos do INSS”. Eleito presidente do PT para moralizar o partido depois do escândalo do mensalão, ele foi posto em quarentena por Lula, logo após a eclosão de outro escândalo estrondoso, o dossiêgate, que levou Alckmin ao 2º turno.

Segundo um membro da executiva do PT, Berzoini comandava paralelamente uma força-tarefa dentro da organização com autonomia para levantar denúncias e informações contra adversários políticos. O dossiêgate - que mobilizou o trabalho dos palacianos Freud Godoy (demitido a “pedido”), Jorge Lorenzetti (churrasqueiro preferido da Granja do Torto), Osvaldo Bargas, Valdebran Padilha e Gedimar Passos – reporta-se à compra (por R$ 1,7 milhão) de documentos que incriminavam Zé Serra, então candidato ao governo de São Paulo. Apesar de saber que a grana vinha do “Caixa dois”, a Polícia Federal se confessou incapaz de explicar sua origem, enquanto Zé Serra, que desfila as mesmas idéias do PT, disse que a coisa não passou de “baixaria”.

Hoje: esgotada a repercussão do escândalo, Berzoini retornou à presidência do PT, leal à proposta de anistia para Dirceu, além de solidário com a absolvição dos envolvidos com a compra do dossiê e o escândalo das sanguessugas.

Como dizia Fidel: “Andas bien, Berzoini!”

Caso 8 – Benedita da Silva. Ministra da Assistência Social do Governo Lula, “Benê”, como é chamada entre os pares, foi denunciada pelo Ministério Público Federal por “improbidade administrativa” ao viajar para Buenos Aires às custas dos cofres públicos a fim de participar de Café da Manhã Anual da Oração, evento promovido por igrejas evangélicas.

Lula não teve outra saída a não ser pedir o cargo de Benedita para nomear Patrus Ananias (que nome!) na pasta assistencialista. Antes, enquanto governadora “interina” do Rio, Benedita convivia com Waldomiro Diniz, nomeado na cota do PT para o cargo de presidente da Loteria do Estado do Rio de Janeiro, Loterj – uma “boquinha” a mais do PT para a cavação de fundos destinados às campanhas eleitorais do partido.

Hoje: nomeada por Sérgio Cabral (que se diz leitor de Lênin) para dirigir a Secretária de Assistência Social do Estado, “Benê” tomou logo a providência de nomear como auxiliar Carlos Manoel Costa Lima, receptador da grana do valerioduto para pagar contas eleitorais da ex-ministra de Lula. Entre amigos, ela já revelou que vai ser a candidata do PT à prefeitura do Rio.

Enfim, para definir melhor o consciente coletivo da corrupção nacional: distinta senhora da Zona Sul do Rio me telefonou e disse: - “Ipojuca, vê se entende: se eu arranjo todo ano uma grana legal do governo e compro apartamento na Lagoa, aumento o meu negócio e dou conforto a meus filhos e netos e pago bem aos meus empregados, eu simplesmente devo ser respeitada pois estou promovendo a distribuição de renda”.

Fica combinado assim: a ilustre senhora dá conforto a filhos e netos e a patuléia ignara, faminta e suja, paga a conta.

Voltaremos ao assunto.

******************************

Ipojuca Pontes

Ipojuca Pontes

O autor é cineasta, jornalista,

escritor e ex-Secretário Nacional da Cultura.

Novato na Câmara, Clodovil gasta só R$ 50 da verba indenizatória de R$ 15 mil

FONTE: Folha online

Os deputados novatos da Câmara praticamente dispensaram a verba indenizatória neste primeiro mês de mandato. Ao contrário da maioria dos colegas que foram reeleitos, os novatos quase não tocaram nos R$ 15 mil da verba paga para ressarcimento das despesas do mês.

O deputado Clodovil Hernandez (PTC-SP), por exemplo, pediu de volta em fevereiro apenas R$ 50 para ressarcir gastos com combustível e óleo lubrificante.

Os seus colegas de bancada Frank Aguiar (PTB-SP) e Paulo Maluf (PP-SP), até agora, não utilizaram nenhum centavo da verba indenizatória, segundo dados da página eletrônica da Câmara. A assessoria da Casa informa, porém, que eles têm o semestre todo para reivindicar os recursos. O deputado Antonio Palocci (PT-SP) também não pediu ressarcimento de despesas.

Deputados com mais tempo de mandato, no entanto, não dispensaram o dinheiro. José Genoino (PT-SP), que retornou à Casa nesta legislatura, já pediu o ressarcimento de R$ 478.

Alegou gastos com aquisição de material de expediente (R$ 315), combustíveis e lubrificantes (R$ 103) e locomoção, hospedagem e alimentação (R$ 60).

O ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) pediu de volta à Câmara R$ 6.700, relativo a despesas com a contratação de consultorias, assessorias, pesquisas e trabalhos técnicos no mês de fevereiro. Em janeiro, quando o Congresso estava de recesso, João Paulo alegou despesas no valor de R$ 12.040,43 com aluguel de imóveis para escritório e despesas referentes a eles (R$ 5.340,43) e novamente em consultorias (R$ 6.700).

O deputado Tatico (PTB-DF), mesmo morando em Brasília, apresentou nota para ressarcimento de despesa com combustível no mês de fevereiro de R$ 4.290. Em janeiro, o deputado disse ter gasto R$ 13.189,70 com alimentação, hospedagem e combustível.

A utilização de recursos da verba indenizatória é autorizada pela Câmara para ressarcimento de gastos com combustível, hospedagem, alimentação e outras despesas pessoais dos parlamentares. Os recursos vem sendo questionados porque muitos deputados acabam incorporando os R$ 15 mil aos salários de R$ 12.847,20.

Alguns parlamentares defendem a extinção da verba indenizatória caso os salários sejam equiparados aos dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), o que equivale a um reajuste de 91%, mas essa discussão foi interrompida devido a repercussão negativa do reajuste.

Nesta sexta-feira, o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que o assunto salário não está em pauta e no que depender dele não será discutido pela Câmara tão cedo. "Este assunto não está em discussão neste momento", disse.

PARTICIPE DA ENQUETE

22 fevereiro 2007

Pai da ex-secretária de Marcos Valério é assassinado em SP

FONTE: Folha online

O professor Usaldo Mendes Ramos, 56, pai de Fernanda Karina Somaggio -- ex-secretária de Marcos Valério--, foi assassinado na madrugada desta quarta-feira por supostos assaltantes em sua casa, na cidade de Mococa (274 km de São Paulo). Dois suspeitos estão presos.

Segundo a Secretaria de Segurança, Ramos estava na sala quando dois homens armados invadiram o local e anunciaram o assalto, por volta da 0h. A vítima teria reagido ao assalto e lutado com os criminosos. Ele foi baleado no abdômen.

Os criminosos fugiram sem levar nada. Ramos chegou a ser levado para o pronto-socorro da Santa Casa de Mococa, mas não resistiu e morreu por volta das 4h.

A polícia de Mococa informou que dois suspeitos do crime foram presos na tarde desta quarta-feira e foram encaminhados para depoimento. As investigações trabalham com a hipótese de assalto seguido de morte.

Karina Somaggio ficou conhecida depois de denunciar, na imprensa, supostos esquemas de pagamentos, feitos por Marcos Valério, para parlamentares com o chamado "mensalão"

INDIQUE ESTE BLOG

20 fevereiro 2007

CAMINHO DA GRAÇA com Caio Fábio:
O EVANGELHO É O NOME- se puder ler, leia!



O Evangelho é o Nome - se puder ler, leia!

Foi porque “os cristãos” não entenderam que o Evangelho é Jesus, que, separadamente de Jesus, criaram uma outra coisa, e que deveria ser vista por todos como “o Evangelho”. Assim, Jesus seria o Cordeiro da Cruz e da Ressurreição; mas, à parte Dele, deveria surgir uma “doutrina de salvação”; conforme o conceito de “doutrina” dos homens — tendo nos gregos os artícifies filosóficos e metodológicos desse “ídolo de pensamentos” patrocinado pelo Imperio Romano. Ora, o Evangelho que se vê anunciado por Paulo, por exemplo, não é uma “doutrina”, conforme o termo se faz entender por nós, mas apenas uma explanação dos significados salvadores do que Jesus fez; e além disso, uma aplicação de natureza individual, existencial e, também comunitária do significado de se ter crido e aprendido em e de Jesus. Entretanto, tal explanação não obedece lógicas humanas, e nem se reveste de nada que se assemelhe a um “sistema”; posto que, para Paulo, não havia nada a ser sistematizado no Evangelho, mas apenas crido. E o fato do apóstolo não ficar citando palavras de Jesus, conforme ditas e registradas nos 4 evangelhos (e que já existiam como informação oral), apenas prova que até mesmo o que Jesus disse não era material para ser “decorado”; antes era algo para ser entendido como espírito e como consciência aplicada à vida. Foi a esquizofrenia produzida entre Jesus-Evangelho, de um lado; e um corpo de doutrinas chamada de Evangelho; de outro lado (o qual é feito da sistematização de tudo o que na Bíblia se pode usar para fundamentar um pressuposto “lógico” acerca de um “plano da salvação”) — justamente aquilo que tornou Jesus tão diferente daquilo que a “igreja” chama de “Evangelho”; e, ao mesmo tempo, tornou a “igreja” tão díspare em relação à Pessoa de Jesus.

Muita gente diz “o evangelho está crescendo...”; ou o “evangelho está tendo resistências...”; ou ainda “o evangelho progrediu muito...” — sempre em referência ao crescimento de adesões religiosas à “igreja”; mas quase nunca pensando que o Evangelho só cresce para dentro; e qualquer coisa que carregue o seu nome do lado de fora, tem que ser a mera reprodução do que ele gerou no coração. Todavia, para a “igreja”, Jesus salva; mas o que o salvo se torna não tem nada a ver com Ele! Aliás, se ficar parecido com Ele não serve para a “igreja”. Pois nada incomoda mais a “igreja” do que alguém que busque ser, radicalmente, como Jesus. Andar como Ele andou, para a “igreja”, significa outra coisa. De fato significa comportar-se como a “igreja” determina; mesmo que isto venha a ser equivalente a negar o modo como Jesus se mostrou a todos os seres humanos; conforme o registro dos 4 evangelhos.

De fato Jesus é o Evangelho; pois é somente Nele, e na fé que converge de modo exlusivo para Ele, que surge o entendimento do Evangelho. O Evangelho é Jesus, em todas as Suas histórias, ações, visões, ensinos, interpretações da realidade, e, sobretudo, Sua entrega voluntária, como Cordeiro; e, para além disso, Sua Ressurreição! Para se entender o Evangelho tem-se que olhar a vida com o mesmo tipo e qualidade de amor que Jesus demonstrou em Sua existência no tempo e no espaço; ou seja: na Sua Encarnação. O Evangelho só cresce em nós quando a consciência de Jesus se torna crescente em nós. Isto é ter a mente de Cristo, segundo Paulo. Portanto, isto é Evangelho.

O Evangelho é o entendimento segundo Jesus que se torna vida e alegria para quem crê. Sem tal olhar e sem tal sentir e pensar, conforme Jesus, não há nada que seja Evangelho. Sim, sem isto podemos ter 4 evangelhos, mas não temos ainda o Evangelho. Isto porque o Evangelho não existe nos quatro evangelhos. Ali temos registros verdadeiros de Quem é Jesus; e de tudo o que, sendo essencial, Ele fez e ensinou. Sim, não há nada além de letras nos registros dos evangelhos, até nos mais originais de todos eles, posto que o Evangelho não é uma informação, mas sempre uma encarnação da Palavra. Por esta razão, do ponto de vista de Jesus, conforme os evangelhos, o Evangelho tinha a ver com gestos. Afinal, uma mulher o unge com óleo e Ele diz que aquilo era Evangelho.

Na Bíblia há 4 evangelhos, mas nenhum deles é Evangelho enquanto não é crido e praticado! Quando Paulo diz que o Evangelho é poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, ele não se refere a nenhuma sorte de adesão à “religião da salvação”, mas exclusivamente a ter crido e obtido, pela fé, o entendimento para provar a salvação como benefício espiritual já na Terra. Afinal, Evangelho é Boa Nova. E que Boa Nova há em 4 evangelhos que não se tornam Evangelho (produtor de vida e paz) na vida dos papagaios que o decoram? Há papagaios capazes de desenvolver inteligência de resolução de problemas de uma criança normal de 6 anos. E com a memória que esses passaros possuem, se ensinados, decorariam os evangelhos, como uma criança é capaz de fazer quando treinada. Neles, porém, não haveria nenhum Evangelho.

Evangelho é vir e aprender com Aquele que é manso e humilde de coração, achar descanso para a alma Nele; e trocar a canga da angustia pelo peso-leve de Seu fardo de alegrias. Evangelho é achar o tesouro que nos evangelhos é uma parábola! Evangelho é a chance de nascer de novo e de ter no coração o reino de Deus! Evangelho é certeza de perdão; mas que trás consigo o compromisso com o perdão ao próximo; que, no Evangelho, não é um sacrifício, mas algo agradável como um grande privilégio! Evangelho é ser forte contra a mentira e doce ante qualquer que seja a confissão de verdade! Evangelho é a alegria de dar a vida pelos amigos; e até pelos inimigos! Evangelho é, portanto, andar como Ele andou; e isto para total benefício de quem O segue em fé! Evangelho é assim... igualzinho a Jesus! E para eu dizer o que é Evangelho, com minhas imensas limitações, teria que escrever tudo o que vejo, sinto, percebo e recebo de Jesus todos os dias; além de tudo o que de Sua Graça vejo nos evangelhos, e enxergo como Evangelho de salvação, na minha vida, e na de todo aquele que crê e busca andar conforme a Sua mente. Assim, ao invés de buscar decorar os evangelhos, busque entender o seu espírito; pois Jesus disse: “As minhas palavras são espírito e são vida”. Enquanto o Evangelho não se torna um entendimento em fé, e que nos concede cada vez mais ver, sentir, e decidir conforme Jesus, nenhum benefício do Evangelho chegou até nós. O Evangelho é Caminho, Verdade e Vida — e Caminho, Verdade e Vida só estão em Jesus. Portanto, o Evangelho é Jesus e Jesus é o Evangelho; e tudo o que não for assim e conforme o espírito de Cristo, pode até ganhar o apelido de “evangelho”, mas não é Evangelho.

Ora, é apenas por crer que os 4 evangelhos só se tornam Evangelho se cridos e praticados como entendimento e consciência; e também é somente por ter o testemunho de toda a História da Igreja quanto ao fato de que sem Bíblias, o povo fica nas trevas; mas também que com Bíblias, porém sem ter a Jesus como a “chave hermenêutica” da leitura, o povo fica “evangélico” — que ouso dizer que nem mesmo a Bíblia ajuda se a pessoa não tiver entendido que Jesus é o Evangelho; e que até da Bíblia muitas coisas deixam de ser Evangelho pelo simples fato de não terem sido encarnadas por Jesus como vida. O local físico onde posso ler os 4 evangelhos é a Bíblia. Porém se na leitura eu não olhar tudo a partir da certeza de que Jesus é o Evangelho, a Bíblia servirá apenas para dividir e dividir as pessoas em nome de Deus; porém sem Deus em nenhuma das divisões; todas feitas em nome de verdades de fariseus; as quais, para Jesus, ainda quando eram verdadeiras, se tornavam mentira; posto que não eram praticadas pela via do amor que fez Deus se encarnar em Jesus.

Nele, que é o Evangelho

*******************************

Todos os dias às 22h, Caio Fábio na Rádio Caminho da Graça.
Acesse através do link no canto superior direito desta página.


Caio Fábio coordena o Caminho da Graça em Brasília.
Há Estações do Caminho da Graça em BH, RJ, SP entre outras cidades.
Conheça o site www.caiofabio.com

Carnaval vai custar ao Tesouro R$ 86,7 mi em 2007

FONTE: Blog Josias de Souza

O Carnaval custará aos cofres do Tesouro Nacional R$ 86,7 milhões. O valor corresponde à soma de 87 projetos carnavalescos aprovados pelo Ministério da Cultura com base na Lei Rouanet. Significa dizer que os donos dos projetos irão captar os recursos junto à iniciativa privada. As empresas abaterão os patrocínios e as doações no Imposto de Renda. E a verba deixará de ser recolhida pela Receita Federal.

Junto com as escolas de samba do Rio de Janeiro, samba na Marques de Sapucaí o erário. A maior parte do dinheiro –R$ 30,1 milhões (35,8% do total)— dos recursos proporcionados pela lei de incentivos à cultura vai irrigar os cofres das agremiações cariocas. Lograram aprovar 14 projetos.


A escola mais bem aquinhoada foi a Mocidade Independente de Padre Miguel. Emplacou três projetos, num valor total de R$ 7,4 milhões. Curiosamente, duas das propostas da Mocidade referem-se ao Carnaval de 2006. Uma delas, de R$ 2,9 milhões, destina-se a cobrir despesas do desfile da escola principal.


A outra, de R$ 1,4 milhão, refere-se ao desfile da Estrelinha da Mocidade, a versão mirim da agremiação. Embora se refiram à folia do ano passado, a Mocidade recebeu do governo autorização para captar recursos até o final de março de 2007. O terceiro projeto da Mocidade, no valor de R$ 3,2 milhões, visa custear o desfile de 2007.


A segunda escola mais bem posta na lista do Ministério da Cultura é a Viradouro. Beliscou R$ 4,2 milhões para financiar sua passagem pelo Sambódromo. Vêm a seguir, em valores arredondados, a Acadêmicos da Grande Rio, com R$ 3,1 milhões; a Unidos de Vila Isabel e a Portela, com R$ 2,3 milhões cada uma; a Unidos do Porto da Pedra, com R$ 1,9 milhão; a Mangueira e a Imperatriz Leopoldinense, com R$ 1,8 milhão cada; a Caprichosos de Pilares, R$ 1,6 milhão; a Unidos da Tijuca, R$ 1,5 milhão; a União da Ilha do Governador, R$ 1 milhão; e a Tradição, R$ 840 mil.


A lista de projetos abençoados pela pasta do ministro Gilberto Gil não traz nenhuma escola de ponta do Carnaval de São Paulo. Uma evidência de que é possível homenagear o rei momo sem recorrer à Viúva. Aprovaram-se 16 propostas para o Estado. Juntas, somam R$ 23,4 milhões.


As duas propostas mais caras aprovadas pelo governo para o Estado de São Paulo autorizam a captação de R$ 3,8 milhões cada uma. A primeira é assinado pela empresa Divisa Produções Ltda.. Prevê apresentações de trios elétricos. Entre as atrações mencionadas no documento estão o conjunto Fundo de Quintal e os cantores Dudu Nobre, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão e Leci Brandão.


A segunda proposta mais onerosa foi protocolada no ministério da Cultura pela firma Garibaldo Promoções e Eventos Ltda.. Propõe-se a “realizar evento popular de música instrumental e carnavalesca.” Não há nomes de músicos na proposta. Mencionam-se, genericamente, “artistas de projeção nacional.”


Afora São Paulo e Rio, conseguiram emplacar projetos carnavalescos no Ministério da Cultura promotores de eventos de outras 12 unidades da federação: Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Pernambuco, Bahia, Ceará, Paraíba, Goiás, Distrito Federal, Rondônia e Amapá.


A Bahia do ministro Gil foi aquinhoada com 11 propostas. Somam R$ 6,1 milhões. Pressione aqui para ir à lista dos 87 projetos aprovados pela equipe do ministro. Chegando à relação, pressione sobre os números de cada projeto para conhecer o valor e o resumo de cada um deles.


**********************************
No Brasil parece que conseguir dinheiro só é difícil para o trabalhador.

PARTICIPE DA ENQUETE

18 fevereiro 2007

Pilotos do Legacy tiveram problemas com aparelhos e idioma, diz jornal

FONTE: Globo.com

Os pilotos Joe Lepore e Jan Paladino, que estavam no comando do jato Legacy que colidiu, em setembro de 2006, com um Boeing da Gol e causou a maior tragédia da história da aviação brasileira, tiveram problemas com a aeronave, com o mapa aeronáutico, com o rádio e com o inglês dos controladores de vôo. A torre de controle, por sua vez, não informou corretamente as alterações de altitude que o Legacy deveria ter feito durante o trajeto. As transcrições das conversas dos pilotos e das torres, que estão nas mãos da Polícia Federal, foram publicadas na edição deste domingo (18) do jornal “Folha de S.Paulo”.

De acordo com o jornal, a torre de São José dos Campos (SP), de onde decolou o Legacy, não detalhou as três altitudes do plano original. Os norte-americanos entenderam que deveriam voar a 37 mil pés até Manaus, altitude que deveria ter sido mudada duas vezes. Na mesma rota, em sentido contrário, estava o Boeing 737-800 da Gol.

Além disso, as transcrições da Polícia Federal mostram que os pilotos não estavam familiarizados com o Legacy, que tinha sido comprado da Embraer e estava sendo levado para os Estados Unidos. Em certo trecho da transcrição, um dos pilotos diz estar enfrentando problemas para operar o FMS, equipamento que gerencia todos os dados do vôo, inclusive altitude e rota.

O inglês dos funcionários da torre de controle também teria contribuído para o acidente, já que o Legacy e os cotroladores não conseguiram se entender nas três vezes em que os pilotos perguntam sobre altitude. Lepore e Paladino citam problemas com o rádio.

O sistema anticolisão estava inoperante. Até o choque não há registros de que o equipamento tenha sido desligado, mas só depois do acidente é que Lepore e Paladino falam da possibilidade de ele não estar funcionando. Autoridades aeronáuticas investigam se um deles estava com um laptop aberto, que esconderia o painel do transponder.

O Legacy conseguiu pousar na base da Serra do Cachimbo, no Pará. Ainda na cabine, após o pouso, Lepore e Paladino comemoram o fato de ter conseguido pousar, tentam entender se bateram mesmo em outra aeronave e dizem que "os caras [controladores] esqueceram da gente. Fiquei sem falar com ninguém por muito tempo". Por falta de orientação dos controladores brasileiros, não teriam mudado a altitude.

O documento da PF revela que as torres de Manaus e de Brasília não sabiam que o Legacy e o Gol 1907 voavam na mesma altitude. Eles tiveram a certeza de que as aeronaves tinham se chocado só depois de 50 minutos. Perguntado se o Boeing estava em sua área, o controlador de Manaus responde a Brasília: “Ué! Que Gol 1907 é esse?”. Na semana passada, o delegado responsável pela investigação isentou de culpa os controladores de Manaus, alegando que eles não tiveram tempo para evitar o desastre.


O ACIDENTE

O acidente com o Boeing da Gol aconteceu em 29 de setembro do ano passado. Após o choque no ar, o avião caiu em área de mata fechada no Norte de Mato Grosso, matando as 154 pessoas que estavam a bordo. Às 16h48, a Aeronáutica perdeu o contato por radar com o Boeing, que fazia o vôo 1907 entre Manaus e Rio de Janeiro. O Legacy conseguiu pousar na base aérea da Serra do Cachimbo, no Sul do Pará. Os sete ocupantes do jato não ficaram feridos.

As buscas duraram 49 dias, quando cerca de 900 pessoas, entre militares e civis, vasculharam aproximadamente 20 quilômetros quadrados de mata fechada. Apenas em 21 de novembro o Instituto de Medicina Legal de Brasília identificou a última vítima do acidente.

PARTICIPE DA ENQUETE

15 fevereiro 2007

Grupo acha calcanhar-de-Aquiles do HIV

FONTE: Globo.com

O todo-poderoso vírus da Aids pode ter um calcanhar-de-Aquiles. Cientistas encontraram uma proteína que não apenas não sofre as constantes mutações do vírus, que dificultam a obtenção de uma vacina, como é vulnerável às defesas de nosso organismo. A descoberta pode ser a falha na armadura do HIV que vai permitir que a medicina o destrua.

“O fracasso de muitas vacinas e a identificação de muitos mecanismos que permitem que o HIV engane o sistema imunológico humano fizeram muitos pesquisadores acreditarem que uma vacina de sucesso é um sonho impossível. Nossas descobertas indicam que o sonho não é impossível”, afirmou o autor do estudo, Tongqing Zhou, ao G1.

Um dos motivos que tornam o HIV um inimigo tão formidável é que ele possui uma verdadeira “carapaça” que o recobre e está sempre mudando de estrutura, impedindo que nosso sistema de defesa entre em ação. Mas Zhou e seus colegas, dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, descobriram uma proteína que forma essa proteção que fica imutável o tempo inteiro.

Em 1998, os mesmos cientistas envolvidos nesse trabalho fizeram as primeiras imagens dessa proteína, chamada de gp120. Agora, em um feito maior ainda, eles mostraram exatamente como ela se liga a uma outra, a CD4, que existe em nossas células de defesa. É essa ligação que permite que o vírus contamine e destrua o sistema imunológico.

“No começo, a gp120 e a CD4 se ligam como em um leve aperto de mão. Mais tarde, esse contato vira um abraço de urso”, explica Zhou.

O mais importante disso tudo é que os cientistas descobriram que a proteína gp120 é vulnerável. Que ela se ligava à CD4 já se sabia há muito tempo, mas ninguém conseguia encontrá-la antes do momento dessa ligação. Os cientistas acreditavam que ela ficava escondida até a hora exata de entrar em ação. Mas o grupo de Zhou descobriu que ela só se disfarça depois do encontro. Antes, ela está bem visível e bem exposta a um ataque preventivo.

Na teoria, isso significa que uma vacina que estimule a produção dos anticorpos capazes de atacar a gp120 antes da infecção pode ser capaz de realizar o sonho de destruir o vírus da Aids. “As informações que conseguimos são do nível atômico das células e não apenas mostram uma vulnerabilidade crítica do HIV como vão servir como um mapa para a produção de uma futura vacina,” diz Zhou.

Para mostrar isso, os cientistas conseguiram até mesmo que um anticorpo se ligasse à proteína. O próximo passo da pesquisa é mostrar exatamente como esse ataque pode ocorrer.

A importante vitória contra a Aids está publicada na edição desta semana da prestigiada revista científica britânica “Nature.”

PARTICIPE DA ENQUETE

14 fevereiro 2007

Senado adia votação sobre proposta de redução da maioridade penal

FONTE: Folha online

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado adiou para o dia 28 de fevereiro a votação das PECs (Propostas de Emenda Constitucional) que reduzem de 18 para 16 anos a maioridade penal no país. O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) pediu vista aos projetos para analisar o tema, o que adiou a discussão.

O presidente da CCJ, senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), concedeu o prazo de apenas uma sessão para a análise das matérias. "Não vamos demorar a decidir. Na próxima sessão será decidido. No dia 28 o pedido de vista coletivo entra como segundo item da pauta", garantiu.

Mercadante negou que seu pedido tenha como objetivo protelar a votação. Segundo o petista, a maioridade penal precisa ser debatida pelos senadores com cautela. "O crime do Rio de Janeiro, que resultou na morte bárbara de um menino de seis anos, exige desta Casa uma resposta. Mas a respostas não é nos associarmos à vingança, e sim estabelecer políticas que efetivamente ajudem a combater a violência", afirmou.

Apesar da negativa de Mercadante, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um apelo para que a base aliada discuta o assunto com cautela. Lula é contra a redução da maioridade penal para 16 anos, assim como a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Ellen Gracie.

Relatório

No total, seis PECs tramitam na CCJ com propostas de redução da maioridade penal. O senador Demóstenes Torres (PFL-G) foi designado relator único das seis matérias. Em seu parecer, ele propõe a redução da idade penal no país para 16 anos --mas estabelece o regime prisional somente para jovens menores de 18 anos e maiores de 16 que cometerem crimes hediondos.

"Proponho uma contemporização: só será punido com a prisão o jovem menor de 18 anos que cometer crimes hediondos. Nos demais casos, o juiz não aplicará pena da privação da liberdade e sim medidas socioeducativas. Isso pune os adolescentes que efetivamente cometerem crimes graves", disse.

Demóstenes argumentou que o Brasil está "na contramão" do resto do mundo ao manter a idade de 18 anos como o mínimo para levar um jovem à cadeia. O pefelista também criticou a posição de Mercadante que defende, ao invés da redução da maioridade, aprovar projeto de sua autoria que aumenta a responsabilidade penal para adultos que envolverem menores de 18 anos em crimes.

"No que isto invalida a redução da maioridade? Tem gangues formadas somente por menores. Em outras, há menores que comandam adultos. Só a maioridade não resolve, temos que tomar uma série de medidas. Mas também não resolve proteger um menor delinqüente."

O projeto de Mercadante está na pauta da Comissão de Direitos Humanos do Senado desta quinta-feira. Se for aprovado, seguirá diretamente para votação na Câmara --uma vez que tramita em caráter terminativo.

******************************
Esse PT é a vergonha nacional.

No primeiro mandato, Lula inventou o "Fome Zero" como campanha de marketing e agora me vem com este tal de "PAC". É igualzinho biscoito de polvilho.

No Recife o prefeito, que é do PT, recebeu aumento salarial de mais de 40% através dos seus vereadores onde o presidente da Casa é petista também.

Figurinha repetida, né? Já ouvimos isso quantas vezes, hein?

Agora, nosso querido presidente Lula, decide barrar (de todas as formas) que a diminuição da maioridade penal entre em votação no Congresso.

Lula é insosso.

O resto é repetição do que já disse várias vezes por aqui.

PARTICIPE DA ENQUETE

13 fevereiro 2007

Chinaglia diz que Câmara não vai votar projetos contra violência sob pressão

FONTE: Folha online

O presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), rebateu hoje as críticas de que o Congresso decidiu colocar em votação projetos na área de segurança pública somente depois de provocado pela morte do menino João Hélio Fernandes, de 6 anos. Na pauta da Câmara desta semana estão nove projetos de lei que endurecem a legislação criminal.

Chinaglia negou, no entanto, que tenha incluído as matérias depois do clamor popular provocado pela morte do menino. "Não há necessidade de acontecer um caso novo para que nós saibamos que temos um drama nesse país. Anunciamos antes da duríssima tragédia essa definição [da pauta]. É uma crítica precipitada, mas respeitamos essa opinião. (...) É nosso dever transformar indignação em decisão eficaz", afirmou.

Apesar da negativa de Chinaglia, a pauta de votações da Câmara só foi definida na última sexta-feira em uma reunião do deputado com integrantes da Mesa Diretora da Casa. A morte de João Hélio ocorreu na quarta-feira.

Chinaglia também rebateu críticas sobre a paralisia, na Câmara, do pacote anti-violência aprovado pelo Senado Federal em junho do ano passado. As dez propostas que integram o pacote esperam por votação na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara desde então.

"O que veio do Senado não está em condições de ser votado. A iniciativa da Câmara de votar projetos como o que aumenta a reclusão para quem comete crimes hediondos é sinalização clara de que essa discussão vai continuar", afirmou.

O presidente da Câmara reconheceu que as nove propostas dificilmente serão apreciadas pelos deputados esta semana. "Dou garantia do nosso esforço. Os projetos vão continuar na pauta. Vamos selecionar aqueles sobre os quais há acordo", explicou.

Chinaglia garantiu que o tema segurança pública será prioridade para os deputados nos próximos meses --acima inclusive da votação do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). "Não vamos nos restringir somente a projetos de lei", encerrou.

******************************************
O Congresso Nacional parece aqueles carros bem velhinhos que a gente precisa ficar empurrando pra funcionar no tranco.
A falta de vontade política é tão gigante que eu fico imaginando qual o desastre ou a barbárie precisaria acontecer para que esta mentalidade mudasse.
Por aqui, só se chora depois que o leite derrama, só há atitude depois de alguma desgraça.
Não é novidade que a segurança no país vai mal, no entanto, nossos políticos (mais uma vez) esboçam atitudes para mudar a situação, mas apenas esboçam. Amanhã a imprensa e o povo esqueceram deste assunto porque outros surgirão e aí eles deixarão pra lá.

Assim tem sido. Assim é. Hipocrisia total.

Uma parcela desta culpa credito ao próprio povo (sim, a nós mesmos) que deveria se conscientizar que direito é uma conquista adquirida e que, de maneira alguma, deveria se abrir mão.
Infelizmente no mundo atual devemos brigar para manter os nossos direitos.
Infelizmente, no Brasil, muitos deste direitos são dilacerados graças ao comodismo e a inércia do próprio povo, ou seja, de nós mesmos.

O mundo não muda se não mudarmos.

Internautas lançam petição on line contra a “anistia” a José Dirceu, cassado por comandar o Mensalão

FONTE: Alerta Total

Em seis meses, um grupo de internautas espera conseguir dois milhões de assinaturas contra a possibilidade de o Congresso ou a Justiça concederam anistia a José Dirceu, deputado cassado por envolvimento no escândalo do Mensalão. A iniciativa popular é de membros de comunidades oposicionistas do site de relacionamentos Orkut. Eles lançaram uma “Petição On Line”, que pode ser assinada em http://www.gopetition.com/online/11104.html

A intenção dos internautas é se contrapor ao recém-lançado Movimento pró-anistia do deputado José Dirceu, que está sendo promovido para colher 1 milhão e 500 mil assinaturas. Os petistas criaram um instrumento de pressão para que o deputado Arlindo Chinaglia Jr, Presidente da Câmara Federal, aliado de Dirceu, possa apresentar um pedido de restituição dos seus direitos políticos, através de um projeto de lei de iniciativa popular. O mesmo pedido valeria para o deputado cassado Roberto Jefferson.

Os internautas consideram o pedido de anistia a Dirceu um acinte à moral e aos princípios éticos que deveriam nortear a política. Em dezembro de 2005, já afastado do ministério, a Câmara cassou o mandato de Dirceu. E o Procurador-geral da República o denunciou pelo envolvimento em falcatruas, junto com outros 40 mensaleiros. O ex-deputado, ex-ministro, e acusado de ser coordenador de todo o esquema de corrupção que manchou a imagem do Congresso Nacional e da Presidência da República (mensalão, valerioduto etc.), está trabalhando avidamente para obter sua anistia (perdão).

A petição on line contra Dirceu pode ser assinada em:
http://www.gopetition.com/online/11104.html

RECOMENDE O AÇÃO REAÇÃO

11 fevereiro 2007

JORNAL DA GLOBO sobre a morte do menino João Hélio



Em entrevista ao Fantástico, os pais de João Hélio pediram justiça e não vingança. “Só queria que a morte dele não ficasse em vão. Que tudo o que vem acontecendo servisse realmente para marcar uma fase de mudança no nosso país porque coisas como esta não podiam voltar mais a acontecer, as pessoas não podem sofrer como a gente está sofrendo”, disse o pai de João, Elson Lopes Vieites.

Espero que este triste e brutal acontecimento retire da inércia as pessoas que poderiam alterar nosso Código Penal, que poderiam ter atitudes (não apenas filosóficas) mas eficazes na melhoria da segurança pública. Cada cidadão brasileiro paga seus impostos esperando que recebam um mínimo de atenção já que esperar o que seria justo e de direito parece ser muito neste país de tantos políticos inertes quanto a trabalhos eficientes, mas extremamentes criativos no quesito "tirar-proveito".

PARTICIPE DA NOVA ENQUETE

CAMINHO DA GRAÇA com Caio Fábio

ACERCA DA ALMA E DO ESPÍRITO

Alma...essa é uma das palavras mais vitais de qualquer vocabulário.
O nível de complexidade relacionado ao que se define por “alma” é tão grande que a sabedoria manda simplificar...a fim de não confundir.

Hebreus 4: 12 e 13 nos fala acerca da impossibilidade humana de destrinchar os conteúdos, os limites, as existências em-si-mesmas daquilo que os nossos vocábulos designam como mundo interior...e afirma que somente a Palavra de Deus pode fazer a separação entre tais ethos...tais coisas em-si:

Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele a quem havemos de prestar contas.

Toda tentativa de fazer “separação” que estabeleça “precisão” entre aquilo que nos constitui interiormente, anda ainda longe de poder definir o quê é o quê em nós.

De fato, a interioridade humana pode ser discernida apenas, talvez, pelo próprio homem..ainda que sempre “em parte”...
Mas jamais pode ser completamente explicada.

O ser é discernível, mas não é explicável em palavras.

O homem pode “examinar a si mesmo”, mas não consegue nem explicar e nem auto-definir sua própria constituição, nunca conhecendo bem as fronteiras e as intercomunicações de seu próprio interior.

A humanidade pode desenvolver uma Psicologia...
O ela não pode é pedir ao psicólogo que explique a si mesmo.

Quando se trata do “em-nós-mesmos”...a gente pode apenas pedir a benção de discernir...explicar seria pura bobagem.

Paulo é o autor do Novo Testamento que mais “psicologiza” acerca da interioridade humana, mas não faz nenhum exercício de sistematização de coisa alguma a esse respeito.

O que interessa hoje, aqui, é olhar superficialmente como Paulo designa o termo psique e à quê ele a relaciona.

Paulo emprega o termo psique apenas doze vezes.

Em seis desses casos o significado é vida:

Rm 11:3: Senhor, mataram os teus profetas, e derribaram os teus altares; e só eu fiquei, e procuraram tirar-me a “vida”?
Rm 16:4: ...os quais pela minha “vida” expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios.
I Co 15:45: Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se “alma vivente”; o último Adão, espírito vivificante.
II Co 1:23: Ora, tomo a Deus por testemunha sobre a minha “vida” de que é para vos poupar que não fui mais a Corinto...
Fp 2: 30:...porque pelo evangelho de Cristo...chegou até as portas da morte, arriscando a sua “vida” para suprir-me o que faltava do vosso serviço.
I Tess 2: 8: Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias “almas”; porquanto vos tornastes muito amados de nós.


Dentre os quatro usos psíquicos—ou seja, psicológicos—, três indicam desejo:

Ef 6:6:...não servindo somente à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de “coração” a vontade de Deus,
Fp 1:27: ...firmes num só espírito, combatendo juntamente com uma só “alma” pela fé do evangelho...
Cl 3:23: E tudo quanto fizerdes, fazei-o de “coração”, como ao Senhor, e não aos homens...

Ainda designando o termo como algo psíquico, Paulo o usa a fim de também indicar emoção:

E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo— I Tess 5:23

Os dois exemplos restantes retirados do uso que Paulo faz de “psique”, são pessoais e designam o individuo, o ente perceptível, historicamente:

Rm 2:9:...tribulação e angústia virão sobre a “alma” de todo homem que pratica o mal...
Rm 13:1: Toda “alma”—ou homem—esteja sujeita às autoridades superiores...

Para designar o que há de mais superior na existência humana interior,Paulo usa o termo pneuma.

Assim, ele estabelece uma diferenciação de fontes vitais na interioridade humana.

Há o homem “almal” e há o homem “espiritual”—sendo que a primeira dimensão se vincula mais ao que existe como emoção, afeição, constituição de personalidade, influências culturais, e relacionamentos inter-pessoais, com todas as “trocas” que se transformam em “cumulações” e “heranças”...derivadas do existir de todos os humanos.

Assim, o Homem Psychikos expressa a natureza humana em si mesma.

A segunda dimensão—a espiritual—expressa o nível de ser que transcende o imediato. É o transcendente no homem...e que é transcendente ao homem...sem deixar de ser o homem.

Desse modo Paulo fala do Homem Pneumatikos e que expressa o ser consciente e subordinado ao Espírito de Deus...pondo o próprio espírito humano como senhor de sua própria alma.

Assim, o espírito dos profetas está sujeito aos próprios profetas!

Paulo diz:

Ora, o Homem Psychikos não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o Homem Pneumatikos discerne tudo muito bem, enquanto ele por ninguém é discernido— I Co 2: 14,15.

Paulo, todavia, não esquizofreniza esses dois homens no Homem. Ele é um só...embora haja dimensões de um só...que expressem conflito entre si.

Romanos 7 expressa essa luta interior melhor do que qualquer outra descrição bíblica.

Mas Paulo também emprega psique junto com pneuma, e faz isto numa visão integral da Graça de Deus operando na redenção do ser como um todo.

Em I Tess 5:23 ele descreve a materialidade e a imaterialidade humana—tanto a corporalidade, como também a sua natureza em si...tanto a Psique-Imedita como a Psique-Transcendente—, e não separa tais dimensões em nenhum momento, pelo contrário: ele toma as diferentes funções do interior humano e delas faz uma e a mesma coisas, o ser—, e põe tudo o que nos constitui sob a Graça de Deus:

E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.

Desse modo, eu tenho uma alma que é alma no espírito e um espírito que é espírito na alma.

A alma do espírito é ser espírito para a alma e o espírito da alma é ser alma para o espírito.

Bem-aventurados os que crescerem para alcançar não apenas esse entendimento, mas essa Vida.

Eu quero, Senhor!

*******************************

Todos os dias às 22h, Caio Fábio na Rádio Caminho da Graça.
Acesse através do link no canto superior direito desta página.


Caio Fábio coordena o Caminho da Graça em Brasília.
Há Estações do Caminho da Graça em BH, RJ, SP entre outras cidades.
Conheça o site www.caiofabio.com

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More