PORTO ALEGRE - A luta pela democratização da comunicação no Brasil perdeu um batalhador. Morreu na tarde desta terça-feira (30), no hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, o jornalista Daniel Herz, 51 anos, autor do livro A História Secreta da Rede Globo (Editora Tchê!, 1987) e diretor do Instituto de Estudos e Pesquisas em Comunicação (Epcom), que manteve o site Acessocom, especializado na área de mídia, até 2003.

Daniel Herz foi professor e chefe do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (1980-1984), coordenador da Frente Nacional de Luta por Políticas Democráticas de Comunicação (1984-1985), coordenador da campanha da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) no Congresso Constituinte (1987-1988), secretário de Comunicação do primeiro governo do PT na prefeitura de Porto Alegre e primeiro coordenador do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, surgido no início da década de 90.

Em “A História Secreta da Rede Globo”, obra através da qual se tornou conhecido nacionalmente e leitura obrigatória nos cursos de jornalismo, Daniel Herz publicou o resultado de suas pesquisas sobre a origem da Rede Globo e suas ligações com o grupo norte-americano Time-Life, durante a ditadura militar no Brasil.

Segundo Herz, a construção da Rede Globo foi viabilizada por um decisivo suporte financeiro, administrativo e tecnológico deste grupo e por relações incestuosas mantidas com lideranças do regime militar. A denúncia de ligações inconstitucionais da Globo com a Time-Life, feita por concorrentes da emissora brasileira (em especial os Diários e Emissoras Associados), obrigou a empresa da família Marinho a se desvincular do grupo norte-americano. Quando as relações jurídicas e administrativas foram encerradas, em 1967, a Globo já havia fincado os suportes para sua transformação em principal empresa de comunicação brasileira.

O Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), suspendeu as aulas desta quarta-feira (31), em homenagem à memória de Daniel Herz. Ele foi o primeiro chefe de Departamento de Jornalismo da UFSC, na época chamado Departamento de Comunicação, no início da década de 80. Em pleno regime militar, instituiu o funcionamento democrático do Curso, com a implantação de um conselho paritário de professores e alunos, até então inédito no Brasil. Além disso, instituiu eleições diretas para todos os cargos de chefia.

O curso de Jornalismo da UFSC tornou-se conhecido nacionalmente, quando Herz organizou o lançamento da Frente Nacional de Luta por Políticas Democráticas de Comunicação, causa pela qual trabalhou sem cessar pelo resto de sua vida."